Emlur leva ação de limpeza para comunidade Saturnino de Brito

Por - em 27

As ações da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) são contínuas e constantes nas 32 comunidades consideradas como áreas de riscos pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). Na manhã desta segunda-feira (17), uma grande operação de limpeza teve início na comunidade Saturnino de Brito, nas Trincheiras. Até quarta-feira (19) 30 agentes de limpeza realizam um trabalho de varrição, coleta de resíduos e capinação na área.

A operação tem como objetivo retirar o lixo e entulhos jogados de forma desordenada pela população nas barreiras, nas vias e em terrenos abandonados, melhorando a qualidade de vida dos moradores no que diz respeito à saúde pública.

De acordo com o monitor da turma, Ricardo Magno, todas as vezes que a Emlur realiza essa ação na Saturnino de Brito há uma grande dificuldade devido ao acúmulo de lixo e entulho. São jogados restos de comidas, metralha, madeira, garrafas plásticas, telhas e móveis velhos, o que contribui para a proliferação de ratos, baratas e outros bichos. “O problema é que, além dos moradores da comunidade, pessoas de outros bairros despejam lixo e entulho na barreira”, comentou.

Coleta Alternativa – Na Saturnino de Brito, onde vivem 2.100 pessoas – conforme cadastro da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) –, por ser área de difícil acesso, a Emlur já implantou a coleta alternativa, onde um agente de limpeza, morador da própria comunidade, recolhe os sacos de lixo e leva até o ponto de passagem do caminhão compactador. A coleta é feita no período diurno, as segundas, quartas e sextas.

O diretor do Departamento de Remoção de Resíduos Sólidos/Varrição e Coleta, Noé Estrela, disse que a coleta na Saturnino de Brito é feita regularmente. Por isso, ele ficou surpreso com o acúmulo de lixo nos terrenos baldios e na barreira. “Nessa comunidade já realizamos uma ação desse mesmo tipo no final de fevereiro, onde levamos todos os serviços oferecidos pela Emlur, inclusive, a equipe de educadores ambientais para orientar os moradores sobre o acondicionamento correto do lixo”, enfatizou.

Na operação, os agentes de limpeza estão utilizando equipamentos como enxadas, pás, carros de mão, vassouras, estrovengas, ciscadores, além de caçamba e enchedeiras.

Noé Estrela, que está acompanhando de perto a ação, disse que o trabalho nas áreas de risco é sempre feito em parceria com as outras secretarias municipais, seguindo a determinação do prefeito Ricardo Coutinho de trabalho integrado.

Fiscalização – A própria população reconhece que contribuiu para o acúmulo de lixo na comunidade, mas alerta a PMJP para a ação irregular de carroças e veículos que depositam metralha nos terrenos abandonados e nas vias, sem contar quando não jogam de barreira abaixo.

“A coleta de lixo passa regularmente, mas não adianta porque os moradores insistem em jogar todo o tipo de lixo nas vias, sem falar nas carroças que vêm de fora. Espero que a Emlur coloque fiscais e puna os responsáveis por esse descaso”, disse José Antônio, 60 anos, morador há 20 na comunidade.

Maria das Neves, 22 anos, também pediu uma fiscalização mais rigorosa para evitar que pessoas de outros bairros depositem lixo na área. “A Emlur faz a limpeza nos dias de coleta, no entanto, nem a nossa própria comunidade ajuda, muito menos as pessoas de outros bairros que descarregam lixo nas ruas ou jogam por cima da barreira”, disse a dona de casa.

Contato – A Emlur colocou à disposição da população o telefone gratuito 0800 083 2425 para sugestões, solicitações e reclamações.