Emlur limpa rio Jaguaribe para evitar alagamentos

Por - em 40

Centenas de garrafas ‘pet’, sapatos, sacos plásticos, carcaças de computadores, animais mortos, cadeiras, vegetação e até documentos pessoais foram retirados da foz do rio Jaguaribe na manhã desta quarta-feira (18), com o início da limpeza emergencial do leito pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), apoiada pela Defesa Civil e as secretarias do Meio Ambiente (Semam) e de Desenvolvimento Social (Sedes). O objetivo da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) com a operação é limpar toda a extensão do rio para evitar os pontos de alagamentos durante o período das chuvas.

“Com essa limpeza, a intenção é que a vazão do rio alcance níveis desejáveis e, como isso, possamos evitar os pontos de transbordamentos quando chove”, disse o diretor de Operações da Emlur, Orlando Soares, que estava vistoriando a execução do trabalho mais o diretor do Departamento de Varrição e Coleta, Noé Estrela.

Prazo – O trabalho começou na foz do rio, localizada em um terreno da ECC da Igreja Batista Evangélica, próximo à BR-230 (final do Bairro São José). A previsão para a conclusão do serviço é de 90 dias. A ação conta com 18 agentes da equipe de operações especiais (aquática) da autarquia, além da utilização de uma retroescavadeira hidráulica, barco, trator e caminhões.

O diretor Orlando Soares informou que durante as visitas técnicas ao Jaguaribe para a elaboração do plano emergencial foram detectados, só nos 2,5 quilômetros do rio que cortam o bairro São José, 18 pontos de acesso para que as máquinas trabalhem na operação de limpeza.

O rio Jaguaribe tem uma extensão de 13,5 quilômetros, cortando os principais bairros da Capital paraibana e sofre com as agressões ambientais devido ao lançamento de lixo pela população, dejetos e esgotos no seu leito, as ocupações desordenadas na sua várzea e a descaracterização de sua paisagem pela urbanização da cidade. A operação de limpeza vai se estender para outros rios da cidade como Cuiá, no Valentina Figueiredo, e do Cabelo, na Penha. A limpeza do Jaguaribe foi autorizada pelos órgãos ambientais e está sendo acompanhada por técnicos da Secretaria do Meio Ambiente (Semam).

Durante o serviço, todo o lixo recolhido é devidamente separado pela equipe aquática. O material que pode ser reaproveitado segue para os pontos de reciclagem (sacos plásticos, garrafas de refrigerantes, madeira, entre outros); o restante (vegetação) vai para o Aterro Sanitário. Os documentos pessoais achados pela equipe da Emlur (Carteira de Identidade, CPF, Carteira de Habilitação, cartões de crédito, cartões Passe Legal) serão encaminhados ao setor de Rádio Escuta da Prefeitura de João Pessoa, que ficará encarregado de divulgar os nomes das pessoas nas emissoras de rádios locais.

‘Eco-cão’ – A equipe aquática da Emlur ganhou nesta quarta-feira mais um reforço na limpeza do Jaguaribe: um cachorrinho vira-lata. O cão ‘Rabicó’ juntou-se aos agentes de limpeza e começou a ajudá-los a recolher o lixo do rio. Cena inacreditável e que emocionou toda a equipe. ‘Rabicó’ parecia entender que retirando a sujeira do rio estava ajudando a preservar o meio ambiente.

A cada momento, diante dos olhares surpresos dos agentes e dos diretores da Emlur, o cachorrinho se jogava nas águas sujas do rio e recolhia as garrafas plásticas. O vira-lata foi logo batizado de ‘eco-cão’ e virou mascote da turma. “Esse bichinho parece ter mais consciência que o homem”, sentenciou o diretor de Operações, Orlando Soares.