Emlur retira 450 toneladas de lixo da foz do rio Jaguaribe

Por - em 21

A equipe de operações especiais (aquática) da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) já retirou aproximadamente 450 toneladas de lixo e vegetação da foz do rio Jaguaribe, na limpeza emergencial que começou no último dia 18. Com praticamente uma semana de limpeza, já é possível notar a diferença. O que antes era vegetação e lixo, transformou-se num local mais limpo e organizado.

A operação de limpeza emergencial vai se estender pelos 13,5 quilômetros do rio até a nascente, que fica nas Três Lagoas, em Oitizeiro, para prevenir inundações e a proliferação de vetores que causam doenças no período das chuvas nas áreas ribeirinhas.

A foz do rio fica dentro de um terreno da ECC da Igreja Bastista Evangélica, no Jardim Marizópolis, próximo à ponte da BR-230, no final do bairro São José. Lixo orgânico, pneus, madeiras, portas, cadeiras, plástico, televisão, carcaça de computador, garrafas de refrigerantes e até documentos pessoais foram recolhidos do rio durante o trabalho de limpeza. A previsão é de que o serviço seja concluído em 90 dias.

Reforço – O diretor de Operações da Emlur, Orlando Soares, disse que para acelerar o trabalho de limpeza do rio Jaguaribe, a equipe de operações especiais – que conta com 18 homens – poderá receber um reforço de mais 20 agentes de limpeza. No serviço estão sendo usados um barco, um trator, caminhões e uma retroescavadeira hidráulica.

Na seqüência, a Emlur vai realizar a intervenção em toda a extensão do Baixo Jaguaribe (2,5 quilômetros) que corta o bairro São José. Nessa área, foram detectados 18 pontos que servirão de entrada para as máquinas trabalharem na limpeza do rio. A abertura dessas entradas implicará na relocação de aproximadamente 40 famílias e de edificações localizadas nesses pontos.

“Estamos realizando apenas a retirada da vegetação e dos resíduos para que a vazão do rio chegue a níveis desejáveis, evitando alagamento com as chuvas. A dragagem para o desassoriamento do rio, obstruído por areia e outros sedimentos em conseqüência da redução da correnteza, está contemplada no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que prevê a revitalização e reurbanização do maior rio da Capital”, explicou o diretor.

A operação de limpeza do Rio Jaguaribe foi autorizada pelos órgãos ambientais e está sendo acompanhado por técnicos da Secretaria do Meio Ambiente (Semam).

Cão ecológico – O cãozinho ‘Rabicó’ continua auxiliando a equipe de operações especiais a recolher o lixo da foz do rio Jaguaribe. Na manhã desta quinta-feira (26), o diretor Orlando Soares tentou uma negociação com o proprietário do cachorrinho para integrá-lo definitivamente a equipe, mas não obteve êxito. Enquanto isso, o cão segue fazendo a diferença e ajudando a preservar o meio ambiente. “Logo cedo, assim que chegamos, o Rabicó se junta a nós. No primeiro dia, ele viu a equipe recolher o lixo e começou a fazer o mesmo”, disse o agente Josival, supervisor da turma. O dono do cão também ficou surpreso. Ele disse que Rabicó era acostumado a tomar banho, mas nunca retirou nada do rio.