Empreender investe R$ 9 milhões em 4,6 mil negócios, em três anos

Por - em 40

O Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios de João Pessoa (Empreender-JP) está prestes a completar três anos. Criado em 14 de abril de 2005, com a aprovação da Lei 10.431, o Empreender-JP tem atualmente uma musculatura de adulto. E os números comprovam isso: R$ 9 milhões em financiamentos, ajudando 4.628 pessoas abrir, reformar ou expandir um pequeno negócio.

“É um número fantástico”, festeja Raimundo Nunes Pereira, secretário de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp). “Para se ter uma idéia, o Banco Popular do Brasil, no balanço de 2007, movimentou R$ 19 milhões para o País inteiro”.

Atualmente 16.173 pessoas estão inscritas no programa. Deste total, 8.740 foram convocados para capacitação e 7.433 capacitados através de cursos e palestras. Hoje já são cerca de 100 pequenos empreendedores formalizados, e 120 em processo de formalização.

“Nos tornamos uma referência nacional”, lembra o secretário. Nos últimos anos, mais de dez prefeituras visitaram João Pessoa para conhecer a experiência municipal que está servindo de modelo para o País. “O nosso programa tem dois patamares distintos: ele é de inclusão social, num primeiro momento, e depois de desenvolvimento empresarial”, explica Raimundo Nunes.

Casos de sucesso – O empreendedor Sérgio Silva reflete muito bem a explicação do secretário Raimundo Nunes. Ele ingressou no Empreender-JP há pouco mais de um ano com o objetivo de abrir um pequeno negócio na área de reciclagem de cartuchos e manutenção de impressoras. No mês passado regressou para expandir a oficina e entrar para o mercado formal. “Fiz o primeiro empréstimo, deu tão certo que agora estou fazendo o segundo. Este é um programa essencial, beneficiando as pessoas que não têm uma política de renda”, avalia.

Seguindo os passos de Sérgio, outros pequenos empreendedores estão se destacando. Um desses projetos é o ‘Ciranda Cirandinha’, que cria brinquedos educativos. Há dois anos, o grupo formado por seis mulheres recebeu orientação do Empreender-JP, se transformou em associação e hoje comercializa produtos em vários estados do País. “Estamos buscando outro financiamento para expandir ainda mais nosso negócio”, conta Maria Leonila da Conceição Neto, presidente da associação.

O show room do grupo e a oficina funcionam na casa de uma das associadas. “O local está pequeno e não oferece conforto aos nossos clientes. Precisamos expandir e vamos fazer isso com a ajuda do Empreender-JP”, completa Leonila.

Outro exemplo é o da fabricação de bolsas. Nesse caso, já está sendo cogitada a possibilidade de exportar o produto para a Alemanha. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável, o Empreender-JP está iniciando um relacionamento com o comércio exterior, incluindo países como Inglaterra e Chile.