Empreender-JP beneficia mais de 22 mil pessoas em cinco anos

Por - em 14

Mais de 22,3 mil pessoas já foram beneficiadas direta e indiretamente pelo Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP). Segundo dados da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp), desde a criação do projeto, em 2005, a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) liberou 8,3 mil contratos de empréstimo para micro e pequenos empresários da Capital.

“Deve-se considerar que, desses, 931 são casos de renovações, ou seja, de pessoas que retiraram empréstimo mais de uma vez. Portanto, o Empreender já beneficiou de forma direta aproximadamente 7,4 mil negociantes e prestadores de serviço”, explica o secretário Raimundo Nunes, da Sedesp.

A estimativa, segundo ele, é de que, para beneficiado direto, existam outros três beneficiados indiretos. “O empréstimo afeta a vida não apenas do empresário, com a garantia do chamado ‘autoemprego’, mas também a da família dele e dos possíveis funcionários”, explica.

Apenas o projeto Cinturão Verde, linha especial de crédito voltada a pequenos produtores rurais, atende a 300 famílias, o que equivale a 900 pessoas beneficiadas. “Vale lembrar, ainda, que os casos de renovação de contrato [931] são o indicador mais evidente de que os negócios estão se sustentando e de que os empresários estão com capacidade de adquirir novos empréstimos. Temos casos de pessoas que já realizaram até quatro renovações”, lembra o secretário Raimundo Nunes.

Investimentos – O Empreender-JP já investiu mais de R$ 19 milhões em empréstimos nos cinco anos do programa – uma média de R$ 2,2 mil por beneficiário. Desse total, quase R$ 13 milhões é proveniente de recursos próprios. O restante, é resultado de parcerias com o Banco do Brasil e com o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

No banco de dados da Sedesp já constam 24,3 mil inscritos. Desses, mais de 14 mil foram capacitados até agora nos cursos e palestras oferecidos em parceria com o Sebrae. De acordo com o balanço estatístico, a maior parte dos proponentes do Empreender trabalham no setor do Comércio – que responde por 53% dos recursos investidos. Em segundo lugar fica serviços, com 31%. O setor produtivo (que inclui indústria e artesanato) responde por 12% dos recursos e o agrícola, por 4%.

Linhas especiais – Além de gerar renda, o Empreender-JP tem como objetivo favorecer a inclusão social de grupos em situação de vulnerabilidade econômica, atendendo às políticas públicas da Prefeitura de João Pessoa. Para atender a esse público, foram criadas ao longo dos últimos quase cinco anos nove linhas especiais de crédito, favorecendo, por exemplo, idosos, mulheres e pessoas com deficiência.

A maior delas é o Empreender Mulher, que atende beneficiárias encaminhadas pela Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres e já liberou R$ 677,6 mil em empréstimo, por meio de 388 contratos. Existem ainda as linhas especiais Cinturão Verde, Mercados Públicos, Comerciantes Informais, Grupos Comunitários, Capital de Giro, Empreender 50+, Superação e Empreender Jovem.

Inscrições – As inscrições do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios podem ser feitas na Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp) – localizada na rua Cardoso Vieira, 85, Bairro do Varadouro. O proponente precisa levar xérox e originais do CPF, da carteira de identidade e de comprovante de residência do mês atual e do anterior. Entre as vantagens do programa Empreender-JP estão as taxas de juros, que são as menores do mercado e, hoje, giram em torno de 0,9% ao mês.

Personagens – Entre os mais de 8 mil contratos liberados pelo Empreender desde 2005, estão dois no nome da comerciante Terezinha Maia Barbosa, dona de mercearia no bairro Padre Zé, onde mora. Dois anos atrás, quando retirou o primeiro empréstimo, ela trabalhava para uma indústria de biquíni e queria complementar a renda. Não esperava que, pouco antes da liberação do dinheiro, fosse ser demitida. “A empresa fechou e eu fiquei sem emprego”.

Não fosse pela oportunidade do Empreender, Terezinha conta que estaria sem saber como recomeçar. “Foi minha salvação”, declara. O primeiro contrato serviu para organizar o espaço do mercadinho. Ela reformou a casa, comprou um freezer, colocou prateleiras. Agora, com os R$ 2 mil do novo empréstimo, liberados no mês de março, a comerciante pretende comprar mais mercadoria. “O Empreender mudou a minha vida”, declara.

Foi confiando na experiência de amigos que, como Terezinha, tinha apostado no Empreender, que o corretor de imóveis Renildo Luiz Araújo de Sousa resolveu fazer a inscrição na Sedesp. “Tenho amigos que fizeram o empréstimo e me recomendaram muito bem”, declarou. No último dia 15 de abril, ele recebeu o dinheiro, R$ 1,2 mil, que será usado para compra de birôs, cadeiras e ventiladores para o escritório. “Quero crescer e esse dinheiro veio em boa hora”.