Encerradas oficinas de implantação do programa ‘Bem Receber’ em JP

Por - em 22

O Instituto de Hospitalidade, com sede em Salvador (BA), encerrou no início desta semana a última oficina de trabalho para implantação do programa ‘Bem Receber’ na cidade de João Pessoa. Nove dessas oficinas ocorreram, sendo beneficiados oito empreendimentos entre hotéis e pousadas. O programa do Ministério do Turismo foi desenvolvido na cidade com o apoio do Sebrae Nacional e Secretaria Executiva de Turismo (Setur), com o objetivo de melhorar os serviços prestados e minimizar os gastos na rede hoteleira da Capital.

O programa teve início em agosto do ano passado e agora, após o término, os empreendedores ainda terão um mês com assistência de técnicos do Instituto de Hospitalidade para sanarem possíveis dúvidas. O treinamento envolveu temas como ‘Gestão Profissional’ e ‘Gestão Sustentável’.

“Conseguimos criar diferenciais de competitividade nos meios de hospedagem trabalhados, através da implantação de ações de qualificação e certificação de pessoas, sem deixar de lado a gestão sustentável”, comentou a consultora do Instituto de Hospitalidade, Luciana Gutmann.

Turismo sustentáve
l – O ‘Bem Receber’ busca contribuir para a elevação da qualidade dos serviços no setor de turismo e da competitividade dos destinos brasileiros, com ações focadas na qualificação e na certificação de pessoas e empreendimentos em diferentes destinos, com o intuito de aumentar sua concorrência, por meio da prática do turismo sustentável e da oferta diversificada de serviços.

No programa de qualificação profissional constaram avaliações diagnósticas, formação de instrutores no local de trabalho, ferramentas para a capacitação de profissionais, supervisão de agente de mobilização local, visitas de orientação técnica e avaliação para certificação, que é opcional para o empresário.

Já na gestão sustentável, os consultores foram orientados a planejar e operar as suas atividades, através de orientação em qualificação os gestores, guias e manuais de boas práticas, diagnóstico empresarial e assistência técnicas.

No País foram escolhidos apenas 30 destinos, entre eles João Pessoa, indicada por critérios como fluxo nacional e internacional de turistas, números de meios de hospedagem, potencial de crescimento e interesse local.

Potencial – A última oficina, que aconteceu no ‘Hotel Victory’, em Tambaú, teve a presença de Mário Braga, consultor nacional do Sebrae. Ele fez uma avaliação da implantação do programa na Capital e revelou que a cidade tem um bom potencial e estamos investindo na melhoria da mão de obra. “Estou escutando os empresários para saber como foi a implantação do programa. Acredito ter sido satisfatória”, comentou.

Qualificação – Para o secretário Executivo de Turismo, Elzário Junior, a implantação do programa qualifica a Capital diante da competitividade atual. “Temos, a partir de agora, uma importante certificação de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), para ocupações do setor turístico, em meios de hospedagem, requisitos para a sustentabilidade. Assim, será comprovado que o profissional ou sistema de gestão atende aos requisitos mínimos das normas nacionais”, concluiu.