Escola de Gastronomia vai funcionar no Centro Histórico

Por - em 31

João Pessoa será uma das sedes da Escola de Gastronomia da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). A implantação vai ser possível graças a uma cooperação entre a Abrasel, o Ministério do Turismo e Agência Espanhola de Cooperação Internacional (AECI), que vêm instalar a escola na Capital, e também à ação da Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria Executiva de Turismo (Setur) que conseguiu o remanejamento de parte de uma verba de R$ 650 mil que estava destinada a outro obra na capital. O imóvel onde funcionará o estabelecimento está localizado na rua Rosário Di Lorenzo, 30, no bairro do Varadouro.

A casa foi identificada com a ajuda da Comissão Permanente de Desenvolvimento do Centro Histórico (CPDCH), que fez o projeto de implantação da escola e com auxílio da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) conseguiu o uso do imóvel. A idéia é fazê-la funcionar já em 2008, explica Sônia Gonzáles, coordenadora adjunta da Comissão. Agora, a AECI irá financiar e a Oficina Escola de Revitalização do Patrimônio Histórico Cultural de João Pessoa vai fazer toda a obra de restauração do prédio que está abandonado.

Pelo menos 1.200 mil vagas deverão ser geradas em cursos de nível profissionalizante. A intenção é inserir jovens de baixa renda no programa, capacitando, melhorando a mão de obra e profissionalizando. Será uma forma de inserir profissionalmente os que mais precisam. È um trabalho de inclusão social e econômica, comentou Sônia Gonzalez.

O secretário-executivo de Turismo, Elzário Junior, destacou a ação da Secretaria em conjunto com CPDCH. A verba da Agência Espanhola de Cooperação Internacional (AECI) estava quase desperdiçada, por falta de aplicação para recuperação da antiga Alfândega. Diante da situação, trabalhamos para reaproveitar a verba e, junto com à Comissão, já levantamos a possibilidade de implantar essa Escola de Gastronomia, comentou.

Depois da recuperação da casa, a Abrasel irá trabalhar na manutenção na escola, com a aplicação de cursos e a inclusão de mão-de-obra por meio da qualificação dos profissionais. A intenção é abrir mercado para profissionais preparados nas áreas de atendimento, segurança alimentar e formação de cozinheiros. A liberação dos recursos deverá ocorrer em alguns meses e o empreendimento funcionará numa das casas do Centro Histórico da Capital.