Escolas municipais voltam às aulas dia 11 de fevereiro

Por - em 33

O início do ano letivo nas escolas da rede municipal de ensino está marcado para o próximo dia 11 de fevereiro, com o ‘Dia da Acolhida’ (em cada unidade escolar) para aproximadamente 70 mil alunos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e de iniciativas sociais voltadas à educação de jovens e adultos, mantidos pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), como o Escola de Fábrica, Brasil Alfabetizado, ProJovem, Se ligue Acelera (da Fundação Airton Senna), Segundo Tempo e o Programa de Educação de Jovens e Adultos (Peja).

Este ano, o Governo Municipal abriu mais 11 mil vagas e, segundo a secretária da Educação, Ariane Norma Menezes de Sá, todas foram preenchidas. “Houve uma grande aceitação da população. Em menos de 10 dias de inscrições, 85% já estavam esgotadas”, enfatizou. Ela acrescentou que até o mês de abril serão entregues quatro novas escolas – representando mais 40 salas de aula – dois Centros de Referência em Educação Infantil (Creis) e mais oito até novembro deste ano.

Das quatro escolas, duas estão programadas para este mês de fevereiro (no Condomínio Residencial Gervásio Maia e na Beira Rio, na antiga sede da Guarda Municipal). Tem ainda uma no Alto do Céu (Jardim Mangueira), em abril, além de outra no Cidade Verde (Mangabeira) com data a ser definida.

Kit escolar – Até o início de março, a PMJP distribuirá nas escolas um kit contendo fardamento e material para todos os alunos matriculados: calça, camiseta e meias, sapato e a mochila, que só foram confeccionados depois do planejamento e parecer de um médico ortopedista, que deu dicas de formato e de material para não prejudicar a coluna dos alunos. Como resultado de parceria entre a PMJP e o Ministério da Educação (MEC), os alunos também receberão todos os livros do ano letivo, mais material completo, incluindo lápis, borracha, régua e transferidor etc., para desenvolverem as atividade.

“Este ano, tudo será distribuído nas próprias escolas. A Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), em parceria com todos os diretores e coordenadores, organizará esses kits para que a distribuição ocorra com sucesso. No ato da inscrição, o aluno ou responsável indicou o tamanho de sua vestimenta para facilitar nosso trabalho de controle, e assim definirmos quantas peças pequenas, médias e grandes irão para cada uma das 90 escolas e Creis”, explicou a secretária.

Planejamento – Além da inserção de projetos para o desenvolvimento social e intelectual do alunado, como o Xadrez nas Escolas, Cordel na Sala de Aula, Ciranda Curricular, Escola Aberta (parceria com o MEC), este ano a Sedec pretende trabalhar temas que fazem parte do cotidiano de crianças e adolescentes: violência, criminalidade, sexualidade e direito reprodutivo.

De acordo com a Ariane de Sá, cada um desses temas será trabalhado permanentemente com o alunado, através de seminários, debates, oficinas etc. A pretensão é fazer com que essa metodologia esteja inserida no currículo pedagógico e não apenas como um evento esporádico.

“Em cada tema desses abordaremos outros, como drogas e gravidez. Nesse trabalho apresentaremos as causas e as conseqüências de cada ação ilícita ou que prejudique o desenvolvimento da pessoa. Os professores farão um trabalho intenso durante todo o ano com os alunos, pois os mesmos estarão sendo capacitados através do projeto Formação Continuada”, informou a titular da Sedec.

Avanço – A Formação Continuada, com encontros quinzenais realizados no Centro de Capacitação dos Professores (Cecapro), localizado na avenida Beira Rio, tem sido uma das diretrizes mais eficazes da Secretaria de Educação e Cultura, que investe no avanço metodológico e operacional dos professores da rede municipal.

Durante todo o ano letivo, os docentes têm oportunidade de aprendizado contínuo e troca de vivências no cotidiano escolar. Ariane de Sá disse que este ano as atividades começarão em maio e seguirão até dezembro. O foco dessa capacitação será no professor (incluindo os novos concursados), como forma de atualizar conhecimentos e assim desenvolver um melhor trabalho com os alunos.

“A disciplina e o respeito em sala de aula com o professor e entre os alunos serão aspectos intensificados nas reuniões, pois só através da disciplina os estudantes poderão ter um melhor aprendizado. Queremos com isso resgatar o respeito por aqueles que têm mais conhecimento em sala de aula: os professores”, concluiu.