PlanMob João Pessoa - Plano Diretor de Mobilidade Urbana

Estação Cabo Branco realiza exposição fotográfica “AfroChilenos”

Por Adriana Crisanto - em 202

Três fotógrafos e o mesmo ideal temático: fotografar a participação dos negros africanos na cultura Chilena. O encontro de ideias entre Alberto Banal (italiano radicado em João Pessoa), Christian Jamett e José Esteban Rafael resultou na exposição “Afrochilenos” que foi aberta neste sábado (19), 15h, no hall interno do prédio administrativo da Estação Cabo Branco – Cultura e Artes, no Altiplano. A entrada é aberta ao público de todas as idades e a exposição ficará no local até o dia 22 de outubro, de terça a sexta-feira das 9h às 18h. Sábado, domingo e feriado de 10h às 19h.

Alberto Banal disse que a ideia do projeto surgiu no dia 13 de fevereiro de 2017, depois de ter passado alguns dias na comunidade afrodescendente da África, no Chile. “Cheguei a Santiago do Chile onde tive a sorte de visitar a exposição ‘Afrodescendente: más allá de África’ no prestigioso Centro Cultural La Moneda e conhecer o fotógrafo Christian Jamett. Daí a ideia de trazer a exposição para João Pessoa veio logo no primeiro contato. A concreta colaboração das curadoras Lúcia e Larissa França permitiu a realização do projeto”, contou o fotógrafo.

A exposição está dividida em quatro séries fotográficas: Retratos, O Ritmo da Alma, Série Marta Corvacho e Enterro. São 64 fotografias coloridas e preto e branco. O fotógrafo Ed Kashi, que escreve o texto de abertura da exposição de Jamett, comenta que dentro da fotografia documental eles trazem à vida e atenção do público pessoas que estavam esquecidas pela sociedade.

A ideia anterior era de que o título das exposições fosse: “Más Allá de África” (Além da África), com fotografias de Chistian Jamett e Tumba: Memória Viva da África, com fotos de Banal e José Esteban, mas perceberam que tudo se remetia a África e ao Chile, então decidiram por fim intitular a exposição de “AfroChilenos”.

História dos Africanos Chilenos – Os historiadores contam que os escravos africanos, em sua maioria, chegaram ao Chile proveniente das regiões da Nigéria, Congo, Mali, Gana e Senegal. Os africanos entraram no país como escravos e a porta de entrada era por Valparaíso.

Especificamente na África registava-se 58 % da população negra em 1871, constituindo na cidade do cone sul com maior número de habitantes de raça negra. Este fenômeno é iniciado em tempos de conquista, quando a África era o principal porto de transporte de mercadorias para a Europa, como prata de potosí, e o quente vale agrícola de azapa, que fosse a primeira área de produção de algodão e cana-de-açúcar.

Depois de dois séculos, a presença de afrodescendentes na região continua viva e recorda-nos a importante contribuição que significou para a nossa cultura. “Esta exposição chega para nos fazer refletir sobre esta história e a relevância significativa que teve especialmente para a região do extremo norte do nosso país”, finalizou Banal.

SERVIÇO:

EXPOSIÇÃO AFROCHILENOS

Expositores: Alberto Banal, Christian Jamett e José Esteban Rafael

Abertura: Sábado (19)

Hora: 15h

Local: Hall do prédio administrativo

Até 20 de outubro

Horário de visitação: Terça a sexta-feira – 9h às 18h

Sábado, domingo, feriado – 10h às 19h.

Informações: 3214.8270 – 3214.8303

www.joaopessoa.pb.gov.br/estacaocb

CONTATO PARA IMPRENSA:

Curadora: Larissa França – Fone: 9.8690.0179