Estação Cabo Branco apresenta “Som da Tarde” no domingo

Por - em 18

A atração musical do programa “Som da Tarde” na Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes, neste domingo (31) é o grupo paraibano ‘Oitavas no Choro’. O grupo faz um passeio pelo samba e outras pérolas musicais contemporâneas, com o objetivo de fortalecer a divulgação da Música Popular Brasileira (MPB). A apresentação acontece no anfiteatro, a partir das 17h30min. A entrada é gratuita.

O “Oitavas no Choro” é formado pelo músico Cornélio Santana (flautista), João Maria (violonista), Medeiros (cavaquinho), Edmilson (percussionista), Júlio César (pandeirista) e Francinete, no vocal. De acordo com o idealizador do ‘Oitavas no Choro’, Cornélio Santana, o grupo faz alusão a um dos intervalos musicais que ilustram com tanto brilho as partituras dos choros e ainda contribuem em seus dinâmicos e complexos desenhos melódicos. “Em nossas apresentações buscamos traduzir a dimensão e a beleza do choro instrumental e cantado, através da pesquisa e divulgação desse gênero musical”, destaca.

O grupo nasceu a partir do reencontro de alguns amigos que, com afinidades ao gênero musical de choros, expressaram o desejo de ampliar e diversificar o cenário de grupos na cidade. Segundo Cornélio, na ocasião, os integrantes com experiência na área e atuando conjuntamente em gravações com artistas locais, convidaram outros amigos para se integrar ao projeto.

O Choro – Surgido por volta de 1870, no Rio de Janeiro, inicialmente não se caracterizou como estilo musical. Mas, pela forma abrasileirada com que músicos da época tocavam ritmos estrangeiros como a polca, o tango e valsa, o gênero musical caiu no gosto popular. Os músicos utilizavam, entre outros instrumentos, o violão, flauta, cavaquinho, bandolim e clarinete que dão à música um aspecto sentimental, melancólico e choroso. O termo Choro passa, então, a denominar o estilo influenciado por ritmos africanos, como o batuque e o lundu.

A partir de 1880, o Choro populariza-se nos salões de dança e nas festas da periferia carioca. Um dos primeiros chorões – nome dado aos integrantes desses conjuntos – é o flautista Joaquim Antônio da Silva Callado. Os músicos Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga criam as primeiras composições, firmando o Choro como gênero musical com características próprias.
O Choro também está presente na música erudita. Um exemplo é a série ‘Choros’, do maestro Heitor Villa-Lobos. A partir da década de 50 perde um pouco a sua popularidade, mas mantém-se presente na produção de vários músicos da MPB. É redescoberto na década de 70, quando são criados os Clubes do Choro e a partir de 1995 é fortalecido por grupos que se dedicam à sua divulgação.

SERVIÇO:

Som da Tarde- Apresentação Musical- Oitavas no Choro

Dia: 31 (domingo)
Local: Anfiteatro
Horário- 17h30min
Entrada Franca
Informações: 3214.8303/8270
Local: Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes – Av. João Cirilo
Silva, S/N, Altiplano Cabo Branco-João Pessoa-PB-CEP:58046-010