Estação Cabo Branco ganha escultura doada por Eulâmpio Neto

Por - em 189

A Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, localizada no bairro do Altiplano, recebeu nesta quinta-feira (19) a doação da escultura “Vida”, de autoria do artista plástico Eulâmpio José da Silva Neto. A escultura de uma mulher, que pesa aproximadamente 500 quilos e mede 146×48 centímetros, foi confeccionada em concreto armado e está fixada nos jardins da Estação.

“Ficamos sensibilizados com a doação”, disse a diretora geral da Estação Cabo Branco, Marianne Góes, lembrando que “a obra, assim como outras que sejam doadas, irá compor nosso acervo que pretendemos ampliar tão logo seja concluída a expansão”.

A vice-diretora e curadora da Estação Cabo Branco, Lúcia França, disse que só tem a agradecer ao artista pela doação. “É uma forma também de reconhecer o trabalho de nossos artistas”, acrescentou Lúcia França.

A obra “Vida” remete, segundo Eulâmpio Neto, a uma mulher geradora de vida. Um dos detalhes da obra é a rã fixada no braço da escultura, que, de acordo com o artista, também remete a geração de vida.

A escultura inicialmente foi confeccionada em argila, depois recebeu a fôrma de gesso e em seguida o concreto. “Em dois meses conclui a escultura”, comentou Eulâmpio, que possui duas outras obras exposta em local público. Uma das obras, chamada “Doação”, está instalada na Faculdade de Santa Maria, no município de Cajazeiras, Sertão do Estado, e outra em um condomínio fechado, em Salvador (BA), intitulada “Amor Materno”.

Sobre o artista – Eulâmpio José da Silva Neto é natural de Recife (PE), mas reside em João Pessoa há 27 anos. Além de artista plástico Eulâmpio Neto, como é mais conhecido, é graduado em Medicina Veterinária e professor de Anatomia Humana da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com mestrado na USP e doutorado em Ciências Naturais pela Universidade de Tuebingen, na Alemanha. Nas artes plásticas fez poucos cursos, aprendeu tudo sozinho. Aperfeiçoou algumas técnicas em argila com o professor Ilson Morais, em João Pessoa.

No ano de 2008, foi selecionado no edital de ocupação no Zarinha Centro de Cultura. “Pathos das Dores e das Loucuras” foi uma exposição de destaque do artista, que aconteceu em 2009 no Casarão 34, e percorreu as cidades de Recife (PE) e Patos (PB). Eulâmpio ainda participou da Coletânea Paraibana de Artistas, ocorrida na Estação Cabo Branco, em 2009.

Eulâmpio Neto também está expondo na mostra coletiva “Por que Sapatos?” que se encontra aberta na Estação Cabo Branco desde a semana passada. Ele também é autor da obra literária “Meu Ser”, livro editado no ano passado e lançado na livraria Esquina das Letras, no Zarinha Centro Cultural.