Estação Cabo Branco realiza exposições sobre Luiz Gonzaga, moda e Mata Atlântica

Por - em 219

Uma boa opção de lazer para este final semana são as exposições “Os Bastidores da Moda”, “Cenas da Mata Atlântica” e “Velho Lua – Sertão é Inspiração”, abertas na Torre Mirante da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano. A entrada é aberta ao público, de terça a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados e domingos, das 10h às 21h.

A exposição “Os Bastidores da Moda” marca os 60 anos da Escola de Idiomas da Aliança Francesa apresentando o mundo da alta-costura sob o olhar do fotógrafo francês France Bruno Pellerin, até o dia 30 deste mês. Nas 38 fotografias em preto e branco, Pellerin declara seu amor ao mundo da moda clássica. A atenção está nas minúcias: na composição circunspecta da luz, na maquiagem retrô das modelos e na sensação atemporal de que a excelência mora no detalhe de obras de grandes nomes da moda, como Yves Saint-Laurent, John Galliano, Christian Dior e Jean Paul Gaultier.

Em outro ambiente, o visitante passeia pela natureza, por meio da exposição “Cenas da Mata Atlântica”, que permanece aberta até o dia 18 de julho. Captadas pelo biólogo Cláudio Almeida, as fotos revelam as belezas da mata, como também as agressões que sofre esse cenário. “O objetivo é proporcionar a união entre arte e meio ambiente, uma vez que a Mata Atlântica é tema de ambas”, disse a curadora e vice-diretora da Estação Cabo Branco, Lúcia França.

A exposição está dividida em três momentos: belezas da Mata Atlântica, agressões humanas e restauração da natureza. São 66 imagens (destas, 50 são reveladas em papel fotográfico, e outras 728 são projetadas sobre módulos de superfície branca). Um vídeo de 35 minutos também está sendo exibido na área da exposição, mostrando um sobrevôo realizado em João Pessoa, em outubro de 2010, pela equipe da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) do município, que registrou os remanescentes verdes e as áreas degradadas da Capital.

No ambiente da exposição, o visitante vai encontrar uma vitrine com sementes de espécies da Mata Atlântica, do Viveiro Municipal, e uma xiloteca (arquivo de troncos de madeira com informações relativas sobre sua estrutura anatômica) do Centro de Práticas Ambientais da Semam, com amostras de várias espécies de árvores.

Velho Lua – Sertão é Inspiração – A mostra em homenagem ao Rei do Baião, Luiz Gonzaga, faz parte da programação do Arraiá da Estação e fica aberta à visitação até o dia 8 de julho. “Velho Lua – Sertão é Inspiraçãoapresenta desenhos e reproduções de xilogravuras dos cordéis do músico e poeta popular Beto Brito. Também estão expostos desenhos feitos com carvão, do artista plástico Percy Fragoso, inspirados no universo do Velho Lua.

A exposição, que faz referência ao centenário do filho de seu Januário, é apenas uma das atividades programadas para o mês junino. “Durante todo o mês, serão realizadas apresentações para valorizar a obra de artistas que compõe a programação dos festejos juninos do Arraiá da Estação”, disse Lúcia França, também curadora dessa mostra.

As reproduções foram organizadas por Christian Melo, Natan Vinícius e Armando Leal, membros da equipe de montagem da Estação, coordenados por Lucia França.

SERVIÇO:

Os Bastidores da Moda – Até 30 de junho

Cenas da Mata Atlântica – Até 18 de julho

Velho Lua – Sertão é Inspiração – Até 8 de julho

Horário de visitação: terça a sexta-feira, 9h às 21h; sábado e domingo, das 10h às 21h

Local: Torre Mirante da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, Altiplano.

Fone: 3214.8270 – 3214.8303