Estação: tambores e maracatu tomam conta do Busto de Tamandaré

Por - em 19

A batida dos tambores agitaram a multidão que compareceu, no último sábado (19), a mais uma noite da terceira edição do Estação Nordeste. O evento é uma realização da Prefeitura de João Pessoa com o apoio do Governo Federal, através do Ministério do Turismo.

A primeira atração a subir no palco montado no Busto de Tamandaré foi o músico Escurinho que, acompanhado pela banda Labacé, agitou o público com sua música de resistência, numa mistura de ritmo regional com o rock. Escurinho apresentou canções do seus álbuns ‘Labacé’ e ‘Malocage’, bem como adiantou músicas que farão parte do seu novo disco que está para ser lançado.

Para o músico, nascido em Pernambuco e radicado na Paraíba, o Estação Nordeste é um espaço não só para os artistas nacionais, mas uma oportunidade para os músicos locais mostrarem seu trabalho. Projetos como este eleva a auto-estima dos músicos. É um espaço também de valorização do artista da terra, observou Escurinho.

Explosão de sons – Foi no ritmo do ‘world metal’, ‘coco dub’, ‘ciranda psicodélica’, ‘baião cyberdélico’ e do frevo ‘travaperna’ que o grupo pernambucano Nação Zumbi subiu ao palco para encerrar a noite, apresentando o show ‘Fome de tudo’. No repertório recheado de sons explosivos, a banda tocou músicas do novo CD e fez um passeio por canções que marcam os 15 anos da banda, símbolo do movimento musical Manguebeat.

O público que esteve presente conferiu músicas como ‘Canaval’, ‘Bossa nostra’, ‘No Olimpo’, ‘Maracatu de tiro certeiro’, ‘Inferno’, ‘Risoflora’, entre outras, que mostra a peculiaridade de ritmos difundidos pela Nação Zumbi.

O Estação Nordeste acontece até o próximo dia 25, com show espalhados pelas praças e Centro da capital.