Estações Digitais da Capital capacitam 2 mil pessoas

Por - em 40

O Projeto das Estações Digitais, uma iniciativa da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio de convênio com o Ministério da Ciência e Tecnologia, tem proporcionado oportunidades de aprendizado e lazer para a população pessoense. Visando combater a exclusão digital, o projeto conta atualmente com 920 pessoas matriculadas em cursos de Informática. No ano passado 2.366 alunos foram capacitados nos cursos básicos de informática com carga horária de 60 horas/aula.

Cada unidade das Estações Digitais possui 11 computadores conectados à internet banda larga, uma impressora e um scanner, com o objetivo de facilitar o acesso da população às tecnologias da Informação e da Comunicação. No local as pessoas aprendem a usar o computador, acessar a internet para mandar e receber mensagens, fazer pesquisas e usar os diversos serviços e facilidades disponíveis.

As principais atividades oferecidas pelas Estações Digitais sãos os cursos de Informática Básica e oficinas especiais. O coordenador Pedagógico das Estações Digitais, Pierre Dornelas, define o projeto como algo bastante inovador e de inclusão social: “É bastante proveitosa a experiência, que é um sucesso, onde é disponibilizada a internet e cursos de graça com um nível equivalente às escolas particulares”, definiu.

Segundo Pierre Dornelas a receptividade da população é muito grande, existindo até listas para possíveis desistências nas Estações em bairros como o Valentina Figueiredo e Mangabeira, onde a procura é muito grande. Para a escolha das localidades beneficiadas com o programa, são priorizadas comunidades com baixo índice de desenvolvimento humano (regiões onde não há acesso à internet).

Em João Pessoa já foram implantadas 26 Estações Digitais, sendo 20 delas advindas de um convênio firmado entre a Prefeitura Municipal e o Ministério da Ciência e Tecnologia, cinco firmadas por meio do termo de doação do Ministério da Comunicação e uma em parceria entre a PMJP e a ONG Escola Viva Olho do Tempo, que já possuía um telecentro e a prefeitura assumiu os custos com a manutenção.

Para o secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Aguinaldo Ribeiro, as Estações Digitais possibilitam a inclusão social e a consequente qualificação e entrada de pessoas no mercado de trabalho. “Iremos formar em março 1.080 alunos nas Estações Digitais, um número bastante expressivo de pessoas que adquirem conhecimento e profissionalização”, frisou.

Em cada Estação são oferecidos quatro cursos de informática básica, com turmas de 10 alunos (40 alunos por Estação). Onze das 26 Estações Digitais, atendendo a uma solicitação da comunidade, disponibilizam os cursos no período da noite, formando assim seis turmas, contabilizando 60 alunos por Estação onde funciona o curso noturno. A faixa etária para a participação dos cursos é a partir dos 15 anos de idade.

Em relação ao acesso livre à Internet, 2.700 pessoas, em média, são atendidas mensalmente em cada Estação. Ao todo são 63 instrutores com a função de auxiliar os usuários na internet e na utilização dos computadores de forma geral. O fato da maioria das Estações Digitais estar inserida nos Centros de Referência da Cidadania e Juventude, faz com que elas atendam também às pessoas dos Programas de Erradicação do Trabalho Infantil de atendimento ao idoso e do agente jovem.