Estratégias de combate ao fumo da PMJP serão apresentadas em seminário

Por - em 26

A experiência desenvolvida nos municípios de João Pessoa, Campina Grande e Patos no combate ao fumo em ambientes fechados será apresentada durante o seminário de ‘Ambientes Livres de Fumaça de Tabaco’, que acontece nos dias 10 a 11 de setembro, no Rio de Janeiro. De acordo com Jailma Porto, chefe de fiscalização da Gerência de Vigilância Sanitária (GVS), o trabalho desenvolvido em João Pessoa é considerado referência pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) na promoção de ambientes livres de tabaco

O seminário tem como objetivo de fortalecer a capacidade gerencial para elaborar políticas de ambientes livres de fumaça provenientes do fumo. Durante o evento, além de palestras e debates, acontecerá uma oficina com treinamento especializado com apresentações didáticas, com espaço para perguntas e respostas, discussões em grupos e em plenária e exercícios de simulação de situações para a ampliação do conhecimento entre os municípios.

No evento, Jailma Porto, irá proferir palestra sobre ‘Avanços na promoção de ambientes livres de tabaco e João Pessoa e na Paraíba’. Ela destacou os trabalhos desenvolvidos pela Gerência de Vigilância Sanitária (GVS) do município e pela Agência de Vigilância Sanitária do Estado (Agevisa), como a adesivagem dos carros e restaurantes, a exposição de charges e a ação integrada de combate ao fumo em 61 estabelecimentos da Capital no último Dia Nacional de Combate ao Fumo. Todas essas iniciativas contribuíram para o reconhecimento da OPAS e a diminuição do fumo nestes ambientes. “As campanhas desenvolvidas de forma sistemática vêm diminuindo o número de fumantes e também fazendo com que eles, num ato de respeito, não utilizem o cigarro em locais fechados”, destacou.

Jailma Porto acrescentou que os indicadores de saúde mostram que os prejuízos do fumo são estendidos para pessoas que no ambiente de trabalho, em casa ou no lazer convivem com fumantes. “Tanto os fumantes quanto os fumantes passivos estão sujeitos a doenças como câncer de pulmão, laringe e boca e outras neoplasias que prejudicam o aparelho respiratório,” explicou.