Estrutura do Cândida Vargas recebeu recursos de R$ 2 mi

Por - em 36

O prefeito Ricardo Coutinho entregou na manhã desta terça-feira (30), as obras de requalificação do Instituto Cândida Vargas (ICV), que passa a contar com Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) Materna e Neonatal. Também foram inauguradas as novas enfermarias, efetivada a expansão do Espaço do Projeto Mãe-Canguru e a Unidade de Cuidados Intermediários para recém-nascidos.

Toda a reforma e modernização da unidade hospitalar receberam investimentos da ordem de R$ 2 milhões. O Instituto Cândida Vargas engloba a maternidade, o Banco de Leite Humano, as UTIs Materna e Neonatal, o Espaço Mãe-Canguru e Unidade de Cuidados Intermediários para recem-nascidos, além de estrutura administrativa. Para Ricardo Coutinho, o resultado é fruto de um trabalho de equipe. Antes de tudo quero agradecer ao empenho dos profissionais do Cândida Vargas por toda batalha conquistada palmo à palmo. Foi com muita vontade e determinação que conseguimos ao longo dos últimos anos resgatar e melhorar a saúde pública do nosso município. Ainda existem muitas coisas para serem feitas, mas estamos preparados para este desafio. É possível e necessário ter um serviço de saúde pública de qualidade, falou o prefeito.

Ricardo informou que desde o início da atual administração municipal, já foram investidos mais de R$ 24 milhões na saúde pública de João Pessoa. Pelo menos, metade dos investimentos foram provenientes dos cofres públicos da Capital. Com isso conseguimos construir o Ortotrauma, em Mangabeira; implantar a melhoria e ampliação do atendimento do Santa Isabel; concluímos a construção do Hospital Municipal do Valentina; e realizamos a reforma e construção de novas Unidades de Saúde da Família, destacou.

A diretora do Instituto Cândida Vargas, Ana de Lourdes Fernandes, disse que esse é um momento histórico na Paraíba. Hoje inauguramos a primeira UTI materna da nossa cidade. Esse é um sonho realizado e que vai nos permitir reduzir a mortalidade materna no nosso estado, já que cerca de cinquenta por cento ou mais dos nosso atendimento são de mães que vêm de outros municípios e até de outros estados, revelou.

A representante da Rede Feminista de Saúde, Lúcia Lira, falou em nome das mulheres. Este é um momento de satisfação para o movimento de mulheres na Paraíba. Nos acompanhamos as ações em todo estado e a gestão de Ricardo e a Secretaria de Saúde vem nos dando algumas respostas importantes como o cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta, assinado em 2005 em que, um dos pontos de combate seria contra a mortalidade materna, relembrou.