Estudantes da rede municipal conhecem patrimônio histórico

Por - em 29

Uma cidade com memória e valorização da sua história. É assim que a Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) pretende mostrar aos estudantes das escolas municipais, as belezas e riquezas culturais do patrimônio histórico da Capital. Através de projetos pedagógicos e também por meio de material educativo, a Sedec está ensinando uma nova forma das crianças e jovens conhecerem a cidade onde moram.

No começo do ano, a Secretaria produziu agendas e cadernos escolares com fotos e informações sobre as principais referências dos monumentos da cidade. O material foi pensado de forma que pudesse ser utilizado como ferramenta metodológica no resgate do patrimônio material da cidade.

“Desde o início do ano letivo, os professores estão tendo à disposição estes importantes meios iconográficos para trabalhar o assunto da história, geografia e cultura de João Pessoa. E o resultado é que crianças e adolescentes estão agora mais próximos e orgulhosos de sua história como cidadãos, respeitando a simbologia destes artefatos e aprendendo que por trás de cada construção arquitetônica, vem junto à coletividade da cidade, sua alma e representações”, afirma a Secretaria de Educação, Ariane Sá.

Os alunos e professores de toda a rede municipal de ensino têm a disposição cadernos de 12 matérias e a agendas escolares, que contêm capas de diferentes monumentos históricos de João Pessoa, com informações principais sobre a história, a arquitetura, a cultura e a localização daquele lugar. Alguns destes pontos já foram tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN), além do próprio Centro Histórico da cidade, que é considerado Patrimônio Histórico Nacional.

Entre os lugares escolhidos estão: Casa da Pólvora, Fábrica de Vinhos Tito Silva & Cia, Fonte do Tambiá, Igreja da Misericórdia, Igreja Nossa Senhora do Carmo, Igreja de São Bento, Complexo Franciscano, Teatro Santa Roza, Hotel Globo, Casario do Centro Histórico, Faculdade de Direito, Basílica de Nossa Senhora das Neves e Estação de Ciência e Cultura Cabo Branco.

História viva – No segundo semestre do ano, estão sendo programadas visitas aos pontos do patrimônio histórico da cidade, estudadas anteriormente através das fotografias dos cadernos e agendas. A ideia é ampliar o conhecimento transversalmente, através de todas as disciplinas e com foco na preservação dos bens culturais. “Queremos proporcionar ao alunado uma história viva, que esteja direcionada a vida de cada um, para que a partir daí, se possa formar uma consciência de valorização da cidade, gerando cuidado e garantindo a memória”, acredita Ariane.

Além da pesquisa nos locais, os alunos da rede municipal poderão ainda ver de perto a exposição com as fotografias dos cadernos e agendas, que está sendo programada para o Casarão 34. O estudantes dos programas ‘Projovem’, ‘Mais Educação’, ‘Escola Aberta’ e ‘Ciranda Curricular’ também estão envolvidos na educação do patrimônio histórico. No mês de junho, crianças e adolescentes tiveram a oportunidade de ter este contato com a beleza e a história da cidade através do projeto ‘Roteiros Históricos e Culturais’.

“Estamos potencializando os espaços culturais e históricos da cidade como espaços pedagógicos, onde os alunos estão aprendendo a ampliar o olhar e verificar a própria história fundida com a história da cidade”, garante Samira Bandeira, facilitadora temática do projeto.