Ex-alunos do ProJovem da Capital vão estudar no Cefet

Por - em 29

Pela primeira vez, ex-alunos do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) concluirão o ensino médio do Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba (Cefet-PB). Das 40 vagas destinadas ao Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) desenvolvido pela Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), em parceria com o governo federal, 15 serão preenchidas por jovens que fizeram parte do Projovem.

O curso terá a duração de quatro anos e as aulas iniciarão na próxima segunda-feira (18). O último ano de atividades será destinado a uma etapa profissionalizante. Segundo o coordenador da Divisão de Qualificação Profissional do Projovem, Thiago Pacheco, esse é um momento muito especial para os alunos e para o crescimento do programa no município. “A parceria dos programas irá facilitar a qualificação dos alunos do Projovem, que a partir de agora terão mais uma chance de concluir o ensino médio e, além disso, poderão ter uma qualificação profissional reconhecida”, avaliou.

O principal objetivo do EJA é diminuir a evasão escolar causada pela distorção idade-série entre jovens e adultos. Anualmente, são oferecidas 40 vagas por série (1°, 2° e 3° anos) e a seleção é feita com alunos a partir dos 14 anos, sem limite de idade e que apresentam um quadro de boas notas e freqüência no ensino fundamental.

Para o estudante Douglas de Oliveira Sousa, 21 anos, morador do Conjunto Esplanada, a oportunidade de concluir o ensino médio no Cefet é um sonho que se realiza. “O Projovem mudou meu conceito sobre a importância da educação. Estudar é a única chance de crescer na vida e esse é o momento que eu vou me dedicar e aprender uma profissão”.

Já Felipe Ramon, 20 anos, lembrou que o Projovem o ajudou a conseguir seu primeiro emprego. “No ano passado, fiz um curso de construção e reparos no Cefet e foi esse curso que possibilitou que hoje eu esteja trabalhando como pintor em uma empresa de construção. Agora quero concluir meus estudos e fazer o curso técnico em edificações”, comemorou.

“Nunca poderia imaginar que um dia iria estudar no Cefet. Estou orgulhosa de mim mesma”, disse Alexandra Texeira, 21 anos, moradora do Bairro de Mangabeira. O mesmo orgulho é demonstrado por Ana Cleide Santos, 24 anos, moradora do Bessa. “A minha vida tomou um rumo diferente e tudo começou a dar certo para mim. O Projovem retomou minha confiança em mim mesma e agora sei que posso ir mais além”.