Exposição retrata mais de 50 anos de tradição do Porto do Capim

Por - em 80

As lendas de uma comunidade, as pessoas mais antigas, a vida às margens do Rio Sanhauá, a pesca e o trem. São mais de 50 anos de tradição retratados em uma exposição fotográfica sob a ótica dos próprios moradores da Comunidade Porto do Capim, no bairro do Varadouro. Nesta quinta-feira (22) foi aberta ao público a exposição ‘Memórias Ribeirinhas’, cujo acervo foi reunido pelos moradores da comunidade.

As fotos ficarão expostas até o dia 30 de outubro na casa do Erário, na Praça Rio Branco, no Centro de João Pessoa. A exposição é uma realização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Coordenadoria do Patrimônio Cultural (Copac), em parceria com Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional da Paraíba (Iphan-PB).

Além de dezenas de fotos espalhadas na Casa do Erário, o público também poderá conferir depoimentos em vídeo e em textos dos moradores da localidade. No primeiro dia da exposição, moradores que participaram do acervo fotográfico e dos textos estiveram presentes na exposição, que concentrou um grande número de visitantes.

Há mais de 30 anos sendo morador  da Comunidade Porto do Capim e com privilégio de ter fundado uma rua no local, o pescador João Firmino, conhecido como ‘Alagoas’, lembra-se de inúmeros relatos dos mais de 30 anos morando no local. “Nunca quis sair daqui. É uma comunidade muito importante para João Pessoa e eu acho muito bonito todos poderem ver essas fotos”, conta.

Para o técnico do Iphan, Atila Tolentino, a exposição retrata a riqueza cultural da comunidade e sem intervenção de terceiros. “Podemos notar nas fotos o que eles definem como patrimônio e aí vemos o rio, o modo de vida e o trem. É um belo trabalho através do olhar da comunidade”, relata.

Oficina de fotografia – Para a realização do acervo fotográfico    que resultou na exposição ‘Memórias Ribeirinhas’, cerca de 30 pessoas da comunidade, dentre crianças e adultos, participaram de uma oficina de fotografia. Os participantes da oficina tiveram noções de técnicas de fotografia, como angulação, posicionamento e foco, e receberam câmeras fotográficas para fazer as fotos.

Outras localidades de João Pessoa também poderão ter seus cotidianos e tradições retratadas em exposição fotográfica. As áreas rurais da capital paraibana e colônia de pescadores da Penha poderão ser os próximos locais a receber a oficina fotográfica, cujo material poderá resultar em um acervo fotográfico.