Famílias festejam a entrega de 43 casas próprias pela Prefeitura

Por - em 16

Na noite desta quinta-feira (28) mais 43 famílias foram beneficiadas pelo Programa de Subsídio Habitacional (PSH), do Governo Federal em parceria com o Governo Municipal. Desta vez, os contemplados foram os moradores dos bairros do Cristo Redentor e Rangel, que receberam das mãos do prefeito Ricardo Coutinho (PSB) a chave que possibilitou a realização do sonho da casa própria.

Para o prefeito Ricardo Coutinho, a política habitacional implantada neste governo foi o primeiro passo para garantir o direito da população ver os seus impostos transformados em algo concreto. “Não estamos fazendo um favor a essa cidade. O povo agora consegue enxergar o resultado do seu trabalho e da confiança investida nessa administração, que prioriza a dignidade e o respeito ao dinheiro público”.

Das 43 moradias, 38 estão localizadas no Cristo e cinco no Rangel. Segundo a secretária de Habitação Social, Emilia Correia Lima, desde o início da implantação do programa no município, mais de 200 famílias foram beneficiadas somente nesta região. Em apenas três anos da atual gestão, cerca de três mil famílias já possuem a casa própria.

Duenisse Maria Viegas é um exemplo de felicidade. No momento em que recebeu a chave da sua nova casa, ela descreveu a sensação do que significa ter um teto para sua família. “Não vai mais ter chuva que tire meu sono, porque agora eu tenho uma casa de verdade. Esse é o dia mais feliz da minha vida, porque pela fé e a trabalho da Prefeitura eu consegui ter nas minhas mãos a chave do meu lar”.

Investimento – Cada casa reconstruída pelo PSH possui 37,2 metros quadrados, com sala, cozinha, banheiro e dois quartos. A construção custa em média R$ 10 mil, recursos da Caixa Econômica Federal, com 20% de contrapartida da Prefeitura, totalizando mais de R$1,9 milhão investido com esse tipo de moradia. O programa do Governo Federal é destinado a famílias de baixa renda. Na Capital, para ser beneficiado pelo PSH, a família deve morar em casa de taipa ou sem condições de habitabilidade e ser proprietária do terreno onde será construída a nova moradia de alvenaria. Nesta modalidade, a família não paga nada pela nova casa.