Farmácia Popular vai oferecer estágios para alunos da UFPB

Por - em 32

A Prefeitura de João Pessoa inaugura, nesta quarta-feira (19), às 10h, a sexta Farmácia Popular do Brasil, na Capital paraibana. A unidade vai funcionar no Centro da cidade, próximo ao Mercado Central e, além de oferecer medicamentos com até 90% de desconto, será a primeira a funcionar como Farmácia-Escola, resultado de uma parceria entre a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Secretaria Municipal de Saúde.

O convênio vai possibilitar aos alunos do curso de Farmácia uma oportunidade para realizar o estágio curricular obrigatório. A nova unidade da Farmácia Popular tem capacidade para receber até dois estagiários por turno. Cada um passará dois meses sendo acompanhado por um professor da Universidade e pelos farmacêuticos do local. Ainda dentro da parceria, a UFPB cedeu parte de um prédio, no Centro da cidade para implantação da nova farmácia.

“Durante esse o estágio, os alunos aprenderão sobre o funcionamento de um estabelecimento farmacêutico e terão contato com todas as ações que se desenrolam dentro de uma farmácia. Será um aprendizado extremamente interessante para os dois lados, até porque eles também irão trazer novidades, coisas que estão aprendendo na Universidade e que nos interessam”, analisa a coordenadora do Programa Farmácia Popular em João Pessoa, Juciléia Oliveira.

A nova Farmácia Popular do Brasil em João Pessoa está localizada na Avenida Dom Pedro II, ao lado da Residência Universitária Feminina, próximo ao Mercado Central. A inauguração contará com as presenças do prefeito Ricardo Coutinho e do Reitor da UFPB Rômulo Polari.

O programa Farmácia Popular parte de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Prefeitura Municipal de João Pessoa. O projeto prevê a construção de um estabelecimento para cada cem mil habitantes. Agora, a Capital paraibana tem seis farmácias em pleno funcionamento.

O benefício da Farmácia Popular está, principalmente, no preço. Os medicamentos são oferecidos com 90% de desconto. O consumidor paga 10% do valor. Qualquer pessoa pode ter acesso aos remédios, contanto que apresente uma receita. Todos os produtos só podem ser vendidos com receita médica. As unidades possuem, em tempo integral, nove funcionários, sendo dois farmacêuticos formados. Eles têm como objetivo, não só vender, mas também orientar a população.