Feiras itinerantes têm nova estrutura no ‘Dia do Artesão’

Por - em 44

O ‘Grupo Fazendo Arte e Economia Solidária’, apoiado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), inaugurou na manhã desta quarta-feira (19), Dia do Artesão, a nova estrutura das feiras itinerantes com um evento na Praça Pedro Américo, Centro de João Pessoa. O prefeito Ricardo Coutinho (PSB) apresentou as 55 barracas padronizadas, mesas e cadeiras, adquiridas com recursos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Prefeitura de João Pessoa (PMJP), que começaram a ser usadas nas feiras.

Na ocasião, o prefeito lembrou que a determinação do Governo Municipal “é gerar renda, através da qualificação, da oferta de crédito e da criação de condições que garantam a qualidade e o escoamento dos produtos locais”. A feira foi animada com apresentações artísticas do ‘Grupo Latocando’, da Comunidade Maria de Nazaré, e da Banda 5 de Agosto. No final do evento, houve desfiles dos produtos expostos na feira.

Emoção – A costureira Eunice Mendes de Sousa estreou no ‘Grupo Fazendo Arte’ durante a feira, que coincidentemente aconteceu no dia do seu 60º aniversário. “Já chorei de alegria pela oportunidade que Deus me deu de apresentar ao povo produtos feitos pelas minhas mãos. Antes, botava uma sacola nas costas e saía de porta em porta. Agora, Jesus atendeu a minha oração e me mostrou um canto para eu vender as coisas que faço com a inteligência que ele me deu”, contou a artesã, emocionada.

Maria da Penha Silva dos Santos foi uma das primeiras a integrar o grupo, há mais de dois anos. Ela contou que foi convidada para integrar o projeto durante uma feira no Centro de Cidadania de Mandacaru, onde mora. “Muitas vezes, a gente realizou a feira debaixo de sol quente, sem as mínimas condições de apresentar os produtos, porque as tendas que eram locadas não chegaram em tempo. Agora, temos a certeza que nenhuma feira deixará de ser realizada, porque a estrutura já está garantida”, disse.

Gerando renda – O prefeito Ricardo Coutinho disse que as primeiras 55 barracas entregues (o objetivo é chegar a 70) simbolizam a aceleração do processo de escoamento e comercialização dos produtos dos artesãos locais.

“A geração de renda na cidade é uma obsessão desta gestão. Através do Empreender-JP, o programa municipal de concessão de microcrédito, já conseguimos viabilizar empréstimos para mais de 4,3 mil pequenos negócios na Capital, com a aplicação de mais de R$ 8,5 milhões. Nesse grupo de 150 artesãs, 40 delas já conseguiram obter crédito para começar ou incrementar suas atividades. Vamos continuar com essa luta de qualificar e dar condições para que a produção local seja de boa qualidade e competitiva e gere divisas na cidade”, disse.

Qualificação – A artesã Regina Bonfá representou os profissionais da categoria, lembrando que a entrega da nova estrutura para a realização de feiras ocorria no ‘Dia do Artesão’ e também ‘Dia de São José’, carpinteiro e um dos primeiros artesãos da história. “Nessa caminhada, temos tido o apoio de vários órgãos da Prefeitura de João Pessoa, que não só viabilizou, através do Ministério do Trabalho, uma estrutura melhor para apresentarmos nossos produtos, como também tem investido na qualificação do grupo. O objetivo da economia solidária é vencer os obstáculos e gerar renda para o sustento de famílias, através da união”, lembrou.

Mobilidade – O secretário do Desenvolvimento Social, Alexandre Urquiza, lembrou que são quase 500 artesãos na cidade, sendo 150 do ‘Grupo Fazendo Arte e Economia Solidária’. Ele lembrou que com a nova estrutura adquirida para as feiras será possível levar os eventos para outros locais da cidade com maior fluxo de turistas.

O diretor de Economia Solidária e Segurança Alimentar e Nutricional da Sedes, Ronildo Monteiro, disse que entre os locais escolhidos para esta nova fase estão o Centro Histórico e a orla marítima, onde há mais fluxo de turistas. As 55 barracas, 30 mesas e 60 cadeiras custaram R$ 52,3 mil. A estrutura adquirida reduzirá custos com a locação das tendas que eram usadas nos eventos.