Feirinha de Tambaú: PMJP inicia segunda etapa da urbanização

Por - em 30

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) já iniciou a segunda etapa do projeto de urbanização da Feirinha de Tambaú (no bairro do mesmo nome), com o ordenamento da Praça Vicente Trevas. O local terá 44 boxes, a maioria para a comercialização de artesanato, e uma área livre destinada à circulação de pedestres.

A iluminação, o piso, o prédio e o paisagismo foram projetados especialmente para a região praieira, com o uso de elementos e espécies típicas, assim como aconteceu com a Praça Santo Antônio (primeira fase da obra). A previsão é que os serviços sejam concluídos em cinco meses.

Preparação – O secretário de Controle e Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Ivan Burity, disse que a obra foi iniciada há dez dias com a preparação do local para o início da construção. Os comerciantes foram transferidos para uma área próxima, até que os serviços sejam concluídos.

A urbanização do local está orçada em R$ 560 mil. Dos 44 boxes, 42 abrigarão vendedores de artesanato, um receberá uma banca de revista e outro será destinado à sede da associação dos comerciantes. “A obra está sendo viabilizada através de uma parceria entre a Prefeitura, o Banco do Brasil e os comerciantes”, disse o secretário.

Arquitetura – O coordenador de Projetos Especiais da Secretaria do Planejamento (Seplan), Marco Coutinho, explicou que a proposta arquitetônica das praças Santo Antônio (que abriga o comércio de alimentos e foi inaugurada no último dia 10) e Vicente Trevas segue o mesmo princípio. “A idéia principal é ordenar o espaço, que estava tumultuado e tomado pelo comércio. Com a intervenção, haverá espaço para a circulação de pedestres. As pessoas poderão – por exemplo – sentar em um banco, namorar e passear com carrinhos de bebês”, explicou.

Segundo ele, vêm sendo usados nas obras materiais construtivos típicos da região litorânea, como madeira e telhas de cerâmica para o telhado; tijolos rebocados e pintados para as paredes e blocos intertravados de cimento com pigmentação, para o piso. “Tudo isso combinando com o ar praieiro e fazendo uma ponte com o artesanato, que será comercializado no local. A iluminação ficará na altura do observador ou usuário. O projeto de paisagismo considerou espécies de Mata Atlântica, como ipê roxo (árvore de médio porte para a frente da praça) e sibipiruna (espécie de grande porte a ser plantada na parte de trás), que são plantas já existentes na restinga de Tambaú. Nos canteiros de cada esquina serão plantadas palmeiras catolé”, concluiu.