Festival de flores quer levar 100 mil à Lagoa até o dia 21

Por - em 29

O colorido, a singeleza e o perfume das rosas, orquídeas, azaléias, lírios, bonsais, samambaias, cactos, begônias, tulipas e muitas outras espécies, que estarão expostas no Festival das Flores de Holambra, desta sexta-feira (14) ao 21 deste mês, das 9h às 19h, no anel interno da Lagoa do Parque Solon de Lucena, atraíram pessoas de todas as idades já na abertura do evento que aconteceu pela manhã.

A expectativa de público, segundo o coordenador local, Tarcísio Almeida, é que aproximadamente 100 mil pessoas visitem a exposição e conheçam mais a respeito das flores e da importância delas na vida de cada um. São cerca de 180 espécies diferentes, vendidas a preços populares, que variam de R$ 1,60 (muda de pimenta) a R$ 59,90 (evônio).

Resgate histórico – Ainda dentro da programação de abertura do Festival das Flores, aconteceu também nesta sexta-feira (14) o ‘Encontro Nordeste Holandês – Resgate histórico e perspectivas turísticas’, que debateu formas para resgatar a história, promovendo o fortalecimento e as oportunidades de negócios entre as capitais nordestinas. O debate aconteceu no auditório do Centro Cultural São Francisco, Centro Histórico da cidade, que também abrigou a exposição do artista plástico Nivalson Miranda.

O Encontro começou no início da tarde e o público prestigiou a palestra ‘Informações históricas e culturais sobre a presença holandesa no Nordeste’, proferida pela professora Regina Célia, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB); logo em seguida, o mesmo tema foi abordado pelo pesquisador Guilherme Gomes da Silveira d’Ávila Lins. Depois, representantes do Consulado Honorário da Holanda em Natal (RN) e a Delegação Comercial Holandesa em Recife (PE) discutiram a temática ‘Investimentos e relações comerciais Brasil/Holanda’.

Turismo – Também foi formada uma mesa redonda com as agências operadoras de turismo receptivo de Natal, João Pessoa, Recife, que trocaram ‘Experiências e perspectivas turísticas’. O encerramento se deu com a apresentação de ‘Canção brasileira: da colônia à modernidade’, com o tenor Vianey Santos.

“Este encontro é de suma importância para estreitar a relação das capitais nordestinas participantes, para o resgate e a valorização histórica e turística da nossa região. É uma oportunidade para troca de experiências entre as agências de turismo e a relação comercial Brasil/Holanda. Hoje estamos reativando a memória da cidade, revivendo a época da colonização holandesa no Nordeste e gerando uma série de discussões em favor do crescimento turístico da cidade de João Pessoa”, ressaltou o secretário de Turismo (Setur) da Capital, Elzário Júnior.

Programação – Na abertura do festival das Flores, as pessoas puderam ouvir músicas populares brasileiras nas vozes dos integrantes do Coral da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) e show com Jurandir do Sax. No período da tarde, houve a palestra sobre ‘Plantas medicinais: o saber popular’; lançamento do calendário Inti 2008 ‘Uma viagem pelo sagrado universo dos Andes’ (com fotos de Augusto Pessoa e textos do jornalista Edson Lodi) e do livro de poesias ‘Travessia’, também de Edson Lodi. Outras atrações foram um grupo de ciranda do Vale do Gramame e a Lapinha Jesus de Nazaré.

Parceria – O Festival das Flores de Holambra na Capital paraibana é uma realização da Associação Beneficente Casa da União, com o apoio da Prefeitura de João Pessoa (PMJP). A Associação desenvolve trabalhos junto às comunidades Sonho Meu (Valentina Figueiredo) e Engenho Velho (Distrito Industrial) e com o evento pretende arrecadas recursos para ajudar no custeio de suas ações de assistência social.

Influência holandesa – Holambra (SP) é a principal cidade produtora de flores do Brasil, responsável por 40% da comércio nacional e por 80% das exportações de flores e plantas. Localizada a 140 quilômetros da capital São Paulo, teve sua origem com o processo de imigração holandesa ocorrido logo após o término da II Guerra Mundial.

Em 1957, chegaram à região os primeiros bulbos de flores, dando início ao que seria o maior centro produtivo do País. Em 1981, aconteceu a ‘I Expoflora de Holambra’ para divulgar o trabalho desenvolvido pelos filhos dos imigrantes. Com o passar dos anos, a Expoflora se transformou na maior manifestação cultural da imigração holandesa na América Latina, e hoje é denominada ‘Feira das Flores de Holambra’.