Flávio José, Biliu de Campina e Caçuá são atrações nesta sexta

Por - em 53

Uma programação legitimamente nordestina. É assim que o cantor e compositor Flávio José define o ‘São João em João Pessoa – O Melhor da Gente’. O artista é uma das atrações do arraial da Capital, nesta sexta-feira (18), no Ponto de Cem Réis. Também se apresentarão no mesmo palco o cantor Biliu de Campina e o Grupo Caçuá. A realização do evento, que se estende até o dia 29 deste mês, é da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Fundação Cultural (Funjope).

Para Flávio José, a programação junina de João Pessoa se difere das demais por se firmar nas origens desta que é a festa mais tradicional do Nordeste brasileiro. “Nenhuma outra cidade oferece uma programação tão autêntica como a da nossa Capital”, ressalta. Ele disse ainda que se sente honrado em participar da festa, tanto por cantar no seu Estado natal quanto por fazer parte de uma programação que valoriza a verdadeira música de São João. “A Funjope está de parabéns”, completa.

Artista que figura na lista dos mais autênticos de sua geração, Flávio José nasceu na cidade de Monteiro, interior da Paraíba, e já aos 7 anos de idade se iniciava no mundo da música. Forrozeiro com estilo personalíssimo, ele se mantém atemporal e original, produzindo um forró que atende a todas as camadas sociais sem fazer concessões mercadológicas, com uma obra que toca pela força de suas mensagens. Intérprete da boa música romântica nordestina, Flávio José valoriza os parceiros e compositores da região, gravando com arranjos simples e diretos.

Reverenciado como o Rei do Xote, Flávio tem oito LPs e 17 CDs gravados, em mais de 30 anos de carreira consolidada. Nesta sexta (11), ele brindará o público com um repertório recheado de xotes românticos, como ‘Que nem vem vem’, ‘Um passarinho’, ‘Quando bate o coração’, ‘Tareco e mariola’, ‘Mensageiro beija-flor’, ‘Filho do dono’, ‘Caia por cima de mim’, ‘Engenho velho’, ‘Espumas ao vento’, ‘Sem ferrolho e sem tramela’, ‘De mala e cuia’, entre muitas outras músicas.

Biliu e Caçuá – Na mesma noite, Severino Xavier de Sousa, mais conhecido como Biliu de Campina, também fará a festa no Ponto de Cem Réis. O forrozeiro, que deixou de ser advogado para se dedicar à música, se auto-intitula “o maior carrego de Campina” e se destaca pela crítica que faz à industrialização da música popular nordestina. Por essa razão, não poupa elogios à programação do São João da Capital. “Traz o melhor que temos na Paraíba e fora dela, artistas que se propõem a fazer cultura e a defender a tradicional festa de São João nordestina”, frisa.

Biliu lançou três discos independentes: ‘Tributo a Jackson e Rosil’; ‘Forró o ano inteiro’ e ‘Matéria paga’, além de dois CDs independentes: ‘Do jeito que o diabo gosta’ e ‘Forrobodologia’. Em 2002, mantendo seu lado irreverente, lança: ‘Diga sim a Biliu de Campina’, trocadilho com a campanha nacional ‘Diga Não à Pirataria’. A música de Biliu se baseia nos forrós tradicionais, com o suingue característico dos discípulos de Jackson do Pendeiro e uma boa dose de irreverência no duplo sentido das letras, que mostra bem toda a malícia e o bom humor nordestinos.

A programação desta sexta-feira (18) do ‘São João em João Pessoa – O Melhor da Gente’ traz ainda o Grupo Caçuá, com o show ‘Batuques e Cantos’. Durante 1h10, os oito integrantes do grupo vão mostrar a rica variedade de amarrações e pisadas coletadas com os mestres da cultura popular de Alagoas e Pernambuco. Músicas que foram coletadas (ou compostas) por Sinhá Baunga, Mestre Alexandre, Dona Liu, Mestra Ilda do Coco e Mestre Verdilinho, pára-Mestra Jôse e o pesquisador Naldinho. O repertório também traz composições do próprio grupo.