Forró Encabulado e Ripa na Chulipa são as atrações nesta sexta

Por - em 56

Forró Encabulado e Ripa na Chulipa vão animar o Ponto de Cem Réis nesta sexta-feira (27), a partir das 18h, no projeto ‘Chama Forrozeira’. O evento homenageia o centenário de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), em parceria com o Fórum de Forró e a Associação Balaio Nordeste.

Forró Encabulado foi fundado em 2010. Atualmente, é formado por José Honorato (vocal), Honorato Irmão (acordeom), Jeferson Araújo (triângulo), Severino Constatino (zabumba) e Thiago (contrabaixo). Entre as músicas que serão tocadas no ‘Chama Forrozeira’ estão composições de importantes nomes regionais e nacionais, entre os quais Jackson do Pandeiro, Rosil Cavalcanti, Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jorge de Altinho e Edson Azevedo.

O grupo está, atualmente, finalizando o seu primeiro CD em estúdio. O álbum, intitulado “Nascido no Mato”, está previsto para ser lançado em maio deste ano. A programação do ‘Chama Forrozeira’ segue com várias atrações até 15 de junho.

Ripa na Chulipa – A outra atração desta sexta-feira é o Ripa na Chulipa. O compromisso da banda é dar continuidade ao estilo deixado pelos grandes nomes da música popular brasileira – o chamado forró de raiz. O grupo surgiu há oito anos, utilizando como instrumentos apenas a sanfona (Raul), triângulo (João Neto) e zabumba (João Macarrão). Depois de três anos de trabalho, os integrantes resolveram acrescentar bateria (Ronaldo), baixo (Edmilson), guitarra (Índio) mais um vocal (Rosângela) e efeitos (Pelé).

Ripa na Chulipa já gravou três CDs, intitulados “Só Pra Quem Gosta de Forró” (2009), “Prá se Dançar” (2010) e “Dance Forró” (2011). Atualmente, seus músicos estão em estúdio para concluir o último álbum, que será lançado este ano e cujo nome ainda vai ser escolhido. Em 2013, a banda gravar o quinto CD, só com músicas autorais. No repertório desta sexta-feira, o público presente poderá ouvir músicas como “Danado de Bom” (Luiz Gonzaga e João Silva); “Saudade de Forró de Gonzagão”, “Se não Fosse o Forró” e Baião de Três” (todas de Adilson Medeiros); e “Neném Mulher”, de Pinto do Acordeon.