Fundo Empreender arrecada R$ 18,7 milhões em quatro anos

Por - em 24

Em quatro anos de existência, o Fundo Empreender – criado para financiar o Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP) – já arrecadou aproximadamente R$ 18,7 milhões. Desse total, R$ 13,2 milhões foram obtidos com o recolhimento da taxa de 1,5% sobre o pagamento das compras de bens e serviços da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), previsto na Lei 10.431.

Os números foram divulgados nesta segunda-feira (28) pelo secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp), Raimundo Nunes Pereira. De acordo com ele, o pagamento dos oito mil empréstimos firmados pelo Empreender desde 2005 já retornou ao Fundo mais de R$ 4,6 milhões. “Os beneficiários devem estar conscientes de que, pagando seus empréstimos em dia, vão estar dando mais oportunidade a outros empreendedores como eles”, declarou.

O Empreender possui, ainda, uma reserva de R$ 175.467,78 do Fundo Garantidor, que assegura o pagamento dos empréstimos em caso de morte ou de doença grave do beneficiário. Segundo o relatório do programa, até o dia 15 de dezembro, 22.711 pessoas já haviam se inscrito no Empreender-JP. Dessas, 13.707 participaram da capacitação em cursos e palestras e 7.960 realizaram o plano de negócios e tiveram o crédito liberado.
 
Parcerias – Do total de R$ 18,7 milhões arrecadados até hoje pelo Fundo Empreender, R$ 11,9 milhões foram aplicados em empréstimos. Mas, graças a parcerias com o Banco do Brasil e com o Governo Federal – que asseguraram mais de R$ 6 milhões ao projeto –, o valor total dos contratos liberados de julho de 2005 a dezembro deste ano chega a R$ 18.023.703,36.

Entre as parcerias há o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), que já liberou R$ 788.850,21 por meio da linha Cinturão Verde, beneficiando 193 produtores. Já com recursos do Proger Urbano e do Cooperfat (linhas de crédito do Banco do Brasil) foram financiados 648 projetos, no valor total de R$ 5.292.688,64.
 
Renovações – Dos contratos celebrados nos últimos quatro anos, 1.284 foram liquidados. Vale lembrar também que o programa também renovou 760 empréstimos nesse período e renegociou outros 627. “A renovação comprova que os negócios estão dando certo, que o empresário está se fortalecendo. A nossa meta é que ele cresça até o ponto em que não vai mais precisar do Empreender, poderá caminhar com as próprias pernas e tomar empréstimos maiores em instituições financeiras tradicionais”, explica o secretário Raimundo Nunes.
 
Linhas de crédito – A linha de crédito tradicional foi a que mais movimentou recursos nesses quatro anos do programa: 5.630 contratos até hoje – quase 80% dos 7.119 contratos celebrados com recursos próprios (lembrando que outros 841 foram firmados através das parcerias). Em volume de recursos, a linha tradicional movimentou quase R$ 9,7 milhões em investimentos (aproximadamente R$ 1,7 mil por contrato).

Em segundo lugar está a linha especial Empreender Mulher, que liberou até hoje 374 contratos de empréstimo, no valor total de R$ 651.178,54 (também R$ 1,7 mil por beneficiário). E são as mulheres as responsáveis pela maioria dos negócios beneficiados pelo Programa. De acordo com o balanço liberado nesta segunda-feira, elas representam atualmente 62,5% do total de contratos.

As modalidades especiais de crédito foram criadas para atender às políticas públicas de atenção à população socialmente vulnerável, a exemplo das pessoas com deficiência e os idosos. Além do Empreender Mulher, existem também as seguintes linhas: Superação, Empreender 50+, Cinturão Verde, Mercados Públicos, Comerciantes Informais, Grupos Comunitários, Capital de Giro e Empreender Jovem.