Funjope faz visita ao Memorial Augusto dos Anjos

Por - em 180

A vida e a obra do poeta paraibano Augusto dos Anjos, homenageado deste ano no projeto Agosto das Letras – que, por essa razão, ganhou o nome “Augusto das Letras” – puderam ser conhecidas de maneira mais profunda nesse domingo (26). Durante todo o dia, uma equipe da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) esteve na cidade de Sapé e visitou o Memorial Augusto dos Anjos.

Sob o comando do diretor da Funjope, Lúcio Villar, a equipe se descortinou a cosmovisão do autor de “Eu” no ambiente em que ele viveu. Naquela região, o paraibano cresceu e encontrou a inspiração de grande parte de sua obra. “Essa visita é algo que não poderia faltar dentro da programação deste evento, pois assim podemos conhecer ainda mais o universo de Augusto”, explicou.

Na casa da ama de leite de Augusto dos Anjos, hoje restaurada, os profissionais da Funjope e convidados conheceram toda a árvore genealógica do poeta. Os detalhes das histórias de seus familiares, tão cruciais para o entendimento dos marcantes sentimentos de Augusto, foram expostos em grandes painéis, nas paredes da sala de estar.

Em um ambiente de paredes altas, onde a luz do sol entra de forma pálida e ventos fortes amenizam o calor, os convidados foram recepcionados por secretários da Prefeitura Municipal de Sapé e pelo diretor do Memorial. “É um prazer receber essa equipe. As descobertas que ela fizer aqui serão levadas a João Pessoa e vão despertar, em outras pessoas, o mesmo interesse em preservar a rica história do poeta”, disse Garibaldi de Souza, em nome do prefeito de Sapé, João Clemente Neto.

O grupo foi apresentado a toda a biografia de Augusto dos Anjos e pôde ler cartas pessoais e emocionantes do poeta, que nasceu em 20 de abril de 1884 e faleceu em 12 de novembro de 1914. Uma delas chamou atenção do grupo, por se tratar do relato íntimo de Esther, mulher do poeta, sobre a morte do marido, endereçada à Dona Mocinha, mãe de Augusto. Em um trecho, ela conta: “Quando vivíamos com descanso, gozando da companhia alegre dos nossos estremecidos filhinhos, eis que uma congestão pulmonar, que degenerou em pneumonia rouba-me bruscamente o Augusto, deixando-me na mais desoladora situação”.

Em seguida, o grupo visitou a pequena capela onde o poeta foi batizado, e posteriormente, o famoso tamarineiro sob o qual o jovem Augusto dos Anjos passava boa parte de sua infância e para o qual dedicou inúmeros poemas. Com quase 200 anos, ele mantém-se frondoso, guardando, na sombra de seus galhos, a inexorável lembrança do menino do “Eu”.

Evento – O “Agosto das Letras” recebe este ano o nome de “Augusto das Letras” em alusão ao centenário de publicação do livro “Eu” do poeta paraibano Augusto dos Anjos. O evento conta com a participação de escritores como Carlos Heitor Cony e Bráulio Tavares, além de apresentações de dança, shows musicais, recitais, vídeos, exposições, palestras, debates com especialistas e o lançamento de um livro sobre o poeta.

Augusto dos Anjos – Considerado um dos poetas brasileiros mais originais, Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos nasceu no Engenho Pau d’Arco, em 20 de abril de 1884. Fez a escola secundária em João Pessoa e se formou em direito na cidade de Recife (PE). Seu único livro, “Eu”, foi publicado em junho de 1912. No ano seguinte, ele se mudou para a cidade de Leopoldina (MG), onde morreu vítima de pneumonia. Atualmente, Augusto dos Anjos é um dos poetas mais lidos do país, famoso por sua originalidade temática na fase que antecedeu o modernismo.

Programação

Terça-feira (28)

17h: Palestra-Debate “A árvore da serra” com Chico Viana/ Mediadores: Leo Barbosa e Thiago Lia Fook

Local: Academia Paraibana de Letras

20h: Apresentação do filme “Transubstancial” de Torquato Joel

21h: Astier Basílio declama “Peleja de Augusto com Zé Limeira”

22h: Dança – “Eu, Augusto dos Anjos” de Marcos Brandão

Local: Casa de Musicultura (Varadouro)

Quarta-feira (29)

17h: Palestra-Debate “Versos Íntimos” com Clotilde Tavares/ Mediadores: Antônio Mariano e Walter Galvão

Local: Academia Paraibana de Letras

20h: Chico Viola faz releitura musical de Augusto dos Anjos

21h: Show de Gustavo Magno e sua banda – “Eu e outras músicas”

Local: Casa de Musicultura (Varadouro)

Quinta-feira (30)

17h: Palestra-Debate “O último credo” com Eucanaã Ferraz/ Mediadores: Amilton Pinheiro e Hildeberto Barbosa

Local: Academia Paraibana de Letras

17h: Tribo Ethnos improvisa Augusto dos Anjos com street dance, hip hop e multimídia

Local: Térreo do Shopping Tambiá

21h: Performance Poético-Musical – Susy Lopes “Café em verso e prosa”

Local: Casa de Musicultura (Varadouro)

Sexta-feira (31)

17h: Lançamento do Livro “Augusto dos Anjos: origem e modernidade” de Hildeberto Barbosa e Abraão Andrade

Local: Academia Paraibana de Letras

17h: Tribo Ethnos improvisa Augusto dos Anjos com street dance, hip hop e multimídia

Local: Térreo do Shopping Tambiá

21h: Diálogo Augustiano com Carlos Heitor Cony/ Mediadores: Gonzaga Rodrigues e Fernando Melo

22h30: Coquetel com apresentação “Música para os anjos”, com a Banda Municipal 5 de Agosto, regida por Rogério Borges

Local: Usina Cultural Energisa