Funjope inscreve para curso sobre audiovisual na Unidade Casarão 34

Por - em 28

‘Linguagem e estéticas do audiovisual: um percurso do olhar’ é o tema do curso que a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) vai promover, através de sua Fundação Cultural (Funjope), no período de 3 a 7 de junho próximo. As inscrições, no entanto, já começam nesta sexta-feira (23) e prosseguem até o dia 30 deste mês, na Unidade Cultural Casarão 34.

A atividade é coordenada pelo pesquisador de cinema Zonda Bez e vai acontecer no Casarão 34, localizado na Praça Dom Adauto, Centro da Capital, para um público com idade mínima de 18 anos. Qualquer pessoa interessada pode se inscrever para as 25 vagas disponíveis, desde que tenha concluído ou esteja cursando o último ano do ensino médio ou técnico, além de possuir alguma experiência com audiovisual comprovada em breve currículo.

O curso – ‘Linguagem e estéticas do audiovisual: um percurso do olhar’ busca apresentar através da percepção provocada pelos filmes, as discussões, os seminários em grupo e análises de textos, um percurso pela linguagem audiovisual e suas principais estéticas. Serão exibidos filmes que abrem as portas para o conhecimento do cinema desde quando essa arte surgiu até a atualidade, atentando-se às principais marcas e processos que alimentam o desenvolvimento da atividade na contemporaneidade.

No último encontro do curso vai acontecer uma mesa-redonda com a presença de realizadores e críticos que atuam na Capital, a fim de uma aproximação com a produção local e suas perspectivas, levando em conta as inovações tecnológicas. Em paralelo aos módulos do curso, acontecem sessões de filmes, também abertas ao público na mostra ‘Um percurso do olhar’, reservada à apresentação de trabalhos que se integram a perspectiva de expansão do olhar sobre o produto audiovisual e seu processo de recepção.

Programação – No dia 3 de junho (uma terça-feira), serão abordados os temas ‘A imagem e o movimento: das cavernas a Muybridge; ‘Da fotografia ao cinema: relações entre imagem e movimento a partir de 1895’; ‘Cinema e a construção da linguagem: as contribuições dos pioneiros’; ‘O início do cinema brasileiro’; ‘Distribuição de textos e preparação dos grupos para seminários’.

Na quarta-feira (4 de junho), o curso pauta os temas ‘De D. W. Griffith à vanguarda européia: a linguagem em transformação’; ‘O som no cinema: o cantor de jazz e o surgimento do gênero cinematográfico’; ‘A violência chega às telas: os filmes de gangsteres e o film noir’ e ‘Orson Welles e Cidadão Kane’: o que há de revolucionário?’. A partir das 19h, a mostra ‘Um percurso do olhar’ exibe os filmes ‘O cão andaluz’, de Luis Buñuel, e ‘O violino e o rolo compressor’, de Andrei Tarkovsky.

A quinta-feira (5 de junho) está reservada a ‘As novas ondas de cinema pós-1945: neo-realismo italiano’; ‘Nouvelle vogue francesa’ e seminário. Na mostra ‘Um percurso do olhar’ tem os filmes ‘Sorria, você está sendo filmado’, de Chico Caprario, e ‘Um olhar estrangeiro’, de Lúcia Murat.

Já na sexta-feira (6 de junho), serão abordados ‘Chanchadas: uma indústria para o cinema brasileiro?’, ‘Cinema Novo: um Brasil diferente revela-se na tela’; ‘As origens do cinema paraibano’ e ‘O cinema brasileiro na ditadura militar: boca do lixo e pornochanchadas’. Na tarde desse dia tem ‘Cinema experimental no Brasil: videoarte e super-8’; ‘O fim da Embrafilme e a retomada: o cinema brasileiro no fim do século XX’; ‘Vale tudo: o cinema brasileiro abre caminho em várias frentes’ e ‘O cinema paraibano no século XXI: perspectivas’.

O último dia do curso, no sábado (7), prevê seminários e exibição de curtas de bolso – pequenos formatos, além da mesa redonda de encerramento ‘Linguagem e estéticas do audiovisual na era digital: pra onde vão?’, com a presença de convidados, encerrando com entrega de certificados.

O ministrante – Zonda Bez é jornalista e desenvolve projetos cineclubistas desde 1997. Trabalhou na área de jornalismo em Brasília (DF) e morou em Portugal de 2000 a 2003, tendo sido co-fundador do projeto cineclubista ‘Quartas de Cinema’ na cidade portuguesa de Lagos.

Em João Pessoa, desenvolveu curadoria em audiovisual para o ‘Tintin Cineclube’ de 2004 a 2007, tendo ministrado oficinas de formação básica em linguagem audiovisual e cineclubismo junto ao Ponto de Cultura Urbe Audiovisual, da Associação Brasileira de Documentaristas – Seção Paraíba (ABD-PB). No ano de 2006, realizou o seu primeiro curta-metragem de ficção em pequeno formato, intitulado ‘Camareira’. Mais informações no Casarão 34 ou pelo telefone 3218-9708, em horário comercial.

Acesse aqui a ficha de inscrição.

Confira o programa da Oficina.