Gláucia Lima grava DVD com apoio da Funjope, no sábado

Por - em 63

A cantora paraibana Gláucia Lima realizará neste sábado (25), show de gravação do seu primeiro DVD. O evento, com entrada franca, acontece a partir das 20h, no Teatro Santa Roza, numa promoção do Fundo Municipal de Cultura (FMC) da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), com apoio da TV Cidade de João Pessoa.

Este show histórico, que marca mais um importante registro da música paraibana, conta com a participação dos instrumentistas Cristiano Oliveira (violão e viola caipira), Jorge Negão (baixo), Marcos Rosa (guitarra), Beto Preah (bateria), Eduardo Araújo (teclados), Victor Ramalho (percussão), Manuela Azevedo e Pedro Índio (vocais).

No repertório do show, composições como ‘Chamamento’, de Bruno Miranda e Gláucia Lima; ‘Fruta flor’, de Sérgio Túlio; ‘Mandando ver’, de Escurinho; ‘Passarim cantadô’, de Pedro Osmar e Jonathas Falcão; ‘Estigma’, de Climério de Oliveira; ‘Espelho’, de Patrícia Moreira; ‘O que vale é o coração’, de Bruno Miranda e Bel; ‘Lavadeiras’, de Rosa Duarte; ‘Quantos netos tem Vó Metra’, com texto de Joana Belarmino; ‘Ciranda de vó’, de Adeildo Vieira; ‘Se tu acredita’, de Kalyne Lima; ‘O pulo do gato’, de Gel Venttannia; ‘Choro de mãos’, de Jorge Negão e Águia Mendes; ‘Caminhos’, de Marcos Fonseca; ‘Contos da oca ôca’, de Jonathas Falcão; ‘Convocação’, poema de Ronald Claver; ‘Leveza na alma’, de Sostemar Matias; ‘Tabajara’, de Erivan Araújo, e ‘Zanzar’, de Bombinha.

Trajetória – Gláucia Lima convive com a música desde criança, no ambiente de sua própria família. É filha de cantora lírica e neta de Dona Euflozina, mulher simples que distraía o cotidiano de todos que a rodeavam com muitas canções e danças. Daí o gosto dela pelas expressões de raízes populares.

Ela surgiu no cenário cultural de João Pessoa no ano de 1997 e a partir daí dedicou-se, com muita sensibilidade e talento, à interpretação de compositores paraibanos, tornando-se uma espécie de porta-voz da música paraibana e, consequentemente, uma das mais importantes e representativas cantoras da cena musical da Paraíba.

A sua carreira é intimamente marcada por expressões da nossa cultura popular, com ênfase nos ritmos regionais como o coco de roda, o baião, a ciranda e o maracatu, navegando também por outras expressões universais. Outro fato relevante na sua trajetória artística é a atuação em movimentos culturais da cidade, sempre participando de eventos, shows e iniciativas de caráter político e social.

Além de já ter produzido show solo, Gláucia Lima integrou o grupo ‘Mama Jazz’, onde exercitou a interpretação de músicas de raízes, tanto brasileiras quanto ritmos legítimos do continente africano.