Grupo Uirapuru realiza show neste sábado em João Pessoa

Por - em 37

O grupo musical ‘Uirapuru – Orquestra de Barro’, formado por jovens do povoado Moita Redonda, localizado no Município de Cascavel, no Ceará, realiza show musical neste sábado (11), a partir das 18h, na Estação Ciência, Cultura e Artes. No domingo (12) haverá oficinas de ‘Cerâmica livre’ e ‘Dinâmica e andamento com os instrumentos’, a partir das 15h, no Centro Cultural Piollin, numa promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

Show – O Grupo Uirapuru é uma atividade idealizada pelo artista plástico e luthier, Tércio Araripe em 2009 em parceria com o ‘Ponto de Cultura do Instituto Beija-flor’, ‘Instituto 3 Arte’ e a ‘Flexos Artes’. Através da inovação de sua formação, o grupo apresenta a manutenção da confecção da cerâmica naquela região. O Grupo de música experimental, regido pelo Maestro Luizinho Duarte, se utiliza de instrumentos confeccionados em barro pela própria comunidade, promovendo desta forma, a cultura e a inclusão social e proporcionando à população para as possibilidades expressivas transformadoras da cultura.

Oficinas – As oficinas de cerâmica, que será ministrada pelos Mestres em cerâmica, Zé Camilo – com peças figurativas e ‘Helena Silva’ – com peças utilitárias, é destinada a qualquer interessado a partir de cinco anos de idade, com capacidade para 20 participantes. Já a oficina de ‘Dinâmica e andamento com os instrumentos’ será ministrada pelo multiinstrumentista Luizinho Duarte regente do Grupo Uirapuru e é aberta a 12 pessoas com iniciação musical e com idade a partir de 12 anos.

O idealizador – Tércio Araripe vem ao longo de mais de duas décadas dedicando-se à pesquisa e construção de instrumentos musicais ‘primitivos’, após experiências bem sucedidas com oficinas de confecção de instrumentos musicais feitos de barro, realizadas naquela comunidade, percebeu-se a necessidade da continuidade destes projetos, não apenas capacitando os novos jovens da comunidade, mas possibilitando os que outrora foram contemplados com o curso de confecção de instrumentos, a continuidade do processo de inclusão e resgate do patrimônio imaterial, permitindo que esses jovens passem a utilizar os instrumentos fabricados por eles mesmos, culminando no ‘Grupo Uirapuru – Orquestra de Barro’.