Hospital Santa Isabel dá inicio a programação do Outubro Rosa

Por Rebeka Paiva - em 246

D R T . R J . 15855. Ivomar Gomes Pereira.

O Hospital Municipal Santa Isabel (HMSI) iniciou nesta quinta-feira (10) as atividades de conscientização sobre o Câncer de Mama, dentro da programação do Outubro Rosa. Ao longo desse mês de outubro, o hospital estará promovendo rodas de conversas para conscientização sobre o câncer de mama voltado às usuárias e funcionárias.

“Nosso objetivo é dar maior visibilidade ao combate ao câncer de mama, não é uma campanha apenas do mês de outubro, é uma campanha anual, é tanto que nosso serviço de diagnóstico, atendimento médico e exames, é ofertado durante todo o ano”, destaca a diretora do HMSI, Dorinha Macedo.

Para a abertura, foi realizado um bate papo para funcionárias e usuárias do Hospital sobre a doença, conduzido pela mastologista e chefe do setor de mastologia do HMSI, Jeanne Nogueira. “Precisamos lembrar que o câncer não aparece apenas no mês de outubro e esse cuidado deve ser direto e, apesar de ser uma doença grave, se diagnosticado precocemente as chances de cura são enormes. Apesar do Ministério da Saúde orientar a mamografia a partir dos 50 anos, a Secretaria de Saúde oferta para mulheres a partir dos 40 anos, basta que a usuária busque o serviço para realizar os exames, precisamos dessa mobilização por parte das usuárias também e não apenas da rede de saúde”, comentou.

O Hospital Santa Isabel oferta diariamente atendimento com mastologista, que atende de forma regulada. Dentro da campanha Outubro Rosa, o HMSI está ampliando o atendimento de mastologia no hospital. Até dezembro, estarão sendo ofertadas 42 consultas semanais, às usuárias da rede municipal de saúde, com marcação direta no hospital, sem necessidade de regulação.

D R T . R J . 15855. Ivomar Gomes Pereira.

Dados – De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica de João Pessoa, já foram registrados, preliminarmente, 96 casos de câncer de mama e 62 óbitos decorrentes da doença este ano. No ano passado, foram 250 casos diagnosticados e 77 óbitos, enquanto em 2017, foram 220 casos e 64 óbitos.

A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de 240 novos casos de câncer de mama no município em 2019, o que representa uma taxa de incidência de 57,41 para 100 mil mulheres residentes em João Pessoa. Em todo o Brasil, a estimativa é de 59.700 novos casos este ano, ou seja, a taxa de incidência é de 51,29 para cada 100 mil mulheres brasileiras.

Serviço – A Rede Municipal de Saúde oferta 5,6 mil mamografias mensalmente, somando um total de mais de 67 mil ao ano, porém, ainda há uma baixa procura pelo exame. No primeiro semestre deste ano, foram realizadas 10,4 mil mamografias. Já no ano passado, foram realizados 21,6 mil exames deste tipo, o que corresponde a uma média de 1,8 mil ao mês.

Atualmente, os exames são oferecidos em quatro serviços, por meio da rede municipal. São eles: Centro Especializado em Diagnóstico do Câncer (CEDC), Fundação Napoleão Laureano, Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) e Instituto Walfredo Guedes Pereira (Hospital São Vicente de Paulo).

Para ter acesso ao exame, a usuária deverá se dirigir à sua Unidade de Saúde da Família (USF) de referência. No local, ela passará por avaliação do médico ou enfermeiro que, ao verificar a necessidade do exame, fará a requisição da mamografia.

Em posse do encaminhamento, as mulheres munícipes de João Pessoa podem optar entre fazer a marcação por meio da USF ou dirigir-se diretamente a um dos quatro serviços conveniados para fazer o agendamento. Podem fazer a mamografia de rastreamento, as munícipes a partir dos 40 anos de idade. No caso das moradoras de outros municípios, pactuados com a Capital, os exames devem ser agendados por meio das Secretarias de Saúde de onde residem.