III Semana de Ciência e Tecnologia discute projeto das Estações Digitais

Por - em 34

Com o tema “Ciência no Brasil”, a III Semana Municipal de Ciência e Tecnologia foi aberta nesta terça-feira (29), no auditório da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes, localizada na avenida João Cirillo Silva, Altiplano Cabo Branco. As atividades tiveram início às 13h, com apresentação das Estações Digitais. Às 14h, o professor Valdir Bezerra deu início à palestra “A Ciência no Brasil”, em que traçou um panorama da ciência e dos principais cientistas brasileiros. Em seguida, estudantes das escolas municipais realizaram uma dramatização sobre as Estações Digitais existentes nos principais bairros da cidade de João Pessoa.

O Projeto das Estações Digitais, denominação dada por este município aos Telecentros de Informação e Educação, é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) por meio de convênio com o Ministério da Ciência e Tecnologia que tem como objetivo central o combate à exclusão digital.

As Estações Digitais são espaços com computadores conectados à internet banda larga. Cada unidade possui onze computadores conectados à internet, uma impressora e um scaner com o objetivo de facilitar o acesso da população às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC), ou seja, um lugar público para as pessoas apreenderem a usar o computador, acessar a internet para mandar e receber mensagens, pesquisar informações e usar diversos serviços e facilidades disponíveis. As principais atividades oferecidas pelas Estações Digitais são os cursos de informática básica e oficinas especiais.

Para escolha das localidades beneficiadas com o programa, priorizou-se comunidades com baixo índice de desenvolvimento humano (IDH), regiões que não dispõem de acesso à internet. O programa capacitou 2.366 pessoas através dos cursos básicos de informática, com carga horária de 60 horas/aulas. Além das 920 pessoas matriculadas nos cursos em andamento.
           
Uma das beneficiadas foi a dona de casa Geralda Batista Barros, 44 anos, que passou a se interessar pelo aprendizado da informática por intermédio de seu filho de seis anos de idade. Geralda Batista contou que iria fazer um curso particular quando uma colega do bairro a informou que existia o projeto da prefeitura. “Desde então meu mundo mudou. Hoje tenho e-mail, Orkut, converso com minha família que está no interior pela internet e adquiri muito mais conhecimento”, disse.
           
Para cada Estação Digital são contratados dois ou três instrutores (conforme expediente de funcionamento). Ao todo são 63 instrutores, com a função de auxiliar os usuários no acesso a internet, bem como na utilização dos computadores de forma geral. Os instrutores foram selecionados mediante análise de currículo, entrevista e comprovação documental do conhecimento específico em informática, seguindo ainda a política de gênero.

A faixa etária para participação dos cursos é a partir de 15 anos de idade. O fato da maioria das Estações Digitais estar inserida nos Centros de Referência da Cidadania e da Juventude faz com que atendam também aos Programas de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), de Atendimento ao Idoso e do Agente Jovem.
 
Programação
 
Na quarta-feira, dia 30 de setembro, os professores Zaqueu Ernesto e Carlos Antônio Cabral ministram a palestra “Alternativas Energéticas para a Paraíba”, seguida das apresentações das Estações Digitais. No dia 1º de outubro acontecerá a palestra intitulada “Beleza e Assimetrias no Universo”, proferida pelo professor Dionísio Bazeia. O evento se encerra no dia 2 de outubro, sexta-feira, com novas apresentações das Estações Digitais e solenidade de entrega dos certificados das estações.
           
Todas as pessoas podem participar das atividades da Semana Municipal da Ciência e Tecnologia, que está inserida no programa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia que acontece em várias partes do país no período de 19 a 25 de outubro. A Semana Nacional existe no Brasil desde 2004 e tem alcançado êxito com uma participação crescente a cada ano de pessoas e instituições de pesquisa e ensino. No ano passado foram realizadas cerca 11 mil atividades em 450 municípios.
           
O secretário adjunto da Ciência e Tecnologia, Rubens Freire, disse que a semana pode ser um momento de descoberta de talentos e vocações para a ciência. Talentos e vocações que requisitam uma dinâmica de potencialização e esta se inicia na educação formal. Ciência, tecnologia e inovação são vistos com um tripé essencial para o desenvolvimento humano. O desenvolvimento científico está intimamente ligado com a educação formal. É na escola, segundo ele, onde aprendemos a fazer ciência.
           
“A Semana Nacional de C&T é uma oportunidade ímpar da sociedade, em particular para a juventude em idade escolar, ter alguns momentos de formação para as ciências com efeitos diretos sobre o processo educacional”, acrescentou Rubens Freire.
           
A SMCT tem o objetivo de mobilizar a população, em especial crianças e jovens, em torno de temas e atividades de ciência e tecnologia, valorizando a criatividade, a atitude científica e a inovação. Pretende mostrar também a importância da C&T para a vida dos cidadãos e para o desenvolvimento do país. Ela possibilita, ainda, que a população brasileira conheça e discuta os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas e suas aplicações.

SERVIÇO:
III SEMANA MUNICIPAL DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA (SMUCIT)
Tema: Ciência no Brasil
Período: 29 de setembro a 2 de outubro de 2009
Local: Auditório Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes – Avenida João Cirillo Silva, s/n, Altiplano Cabo Branco.
Entrada aberta ao público.
Fone: 83. 3214. 8303 – 3214.8270 – 8802-3255
Email: fabath-ecartes@joaopessoa.pb.gov.br