Informatização transforma perfil das escolas municipais

Por - em 27

A informatização da Educação municipal, com a inserção de novas ferramentas e tecnologias, vem mudando o perfil dos servidores da rede municipal de ensino, a dinâmica do trabalho e ações desenvolvidas pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) no setor. A iniciativa é da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), através da Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) que, ao longo de quase três anos da atual gestão, trabalha com o desenvolvimento de projetos de Formação Continuada em Tecnologia (FCT), Sistema Acadêmico Municipal (SAM) e Escola Digital (Robótica Pedagógica).

Inicialmente o objetivo do FCT era capacitar secretários escolares com cursos de informática básica (Windows, Word, Excel e Internet), para uma efetiva utilização do Sistema Acadêmico Municipal, mas o treinamento tomou uma dimensão maior, capacitando de 2006 a 2007 mais de 500 servidores da rede municipal. Segundo Petruska de Araújo Machado, coordenadora da Dtic, os resultados não poderiam ser melhores.

“O projeto contribuiu para mudanças na estrutura organizacional das escolas municipais e ampliou a visão dos funcionários quanto à importância da utilização da tecnologia, dessa forma, observou-se que as barreiras da resistência quanto ao uso do computador foram vencidas”, avaliou.

O SAM é um sistema de informação on-line para controle dos processos acadêmicos das escolas municipais. Atualmente, 30 escolas ligadas à Internet estão utilizando um protótipo do SAM, implantado para avaliar o nível de utilização e satisfação com o sistema. “O objetivo do SAM é oferecer para as escolas do município de João Pessoa um sistema que garanta a efetividade dos processos acadêmicos facilitando as atividades escolares e permitindo um maior controle e interação da escola com a secretaria de educação”, esclareceu Petruska.

Já a Escola Digital (Robótica Pedagógica) usa recursos tecnológicos disponíveis nas escolas municipais, na tentativa de explorar com veemência o potencial pedagógico dos laboratórios de informática transformando-os em ambientes facilitadores da inclusão digital e social dos alunos. Além disso, o projeto oferece ao educador condições de diversificar sua metodologia de ensino proporcionando um diferencial de qualidade a partir da aplicação de temas transversais e de interdisciplinaridade.

“A robótica não é apenas um instrumento que possibilita a construção de protótipos, ela permite que os protótipos sejam instrumentos de crescimento cognitivo e interação interdisciplinar, estimulando o estudo das ciências e ampliando a percepção para a utilização da inteligência artificial. Os equipamentos utilizados na robótica estão sendo utilizados dentro dos laboratórios de informática ampliando e fortalecendo as ações pedagógicas, fortalecendo o potencial dos recursos tecnológicos para aquisição da aprendizagem significativa”, explicou a coordenadora do DTIC.