Infraestrutura, saúde e renda são as prioridades da 9ª região orçamentária

Por - em 42

O ginásio do Centro Esportivo Chievo Brasil, no Alto do Mateus, foi palco na segunda-feira (30) da décima terceira audiência regional do Orçamento Democrático, reunindo um público de cerca de 500 pessoas.

Pessoas residentes na 9ª região orçamentária, composta pelos bairros dos Novais, Alto do Mateus, Ilha do Bispo, Beira da Linha, Trincheiras, Varadouro, Miramangue, Feirinha, Conjunto 05 de junho, Nova Liberdade, Aratu, Saturnino de Brito, Porto do Capim, Vila União I, São Judas Tadeu, entre outras, apresentaram as suas reivindicações nas áreas de saúde, infraestrutura , limpeza urbana, saúde e transportes, ao prefeito Ricardo Coutinho (PSB) e ao secretariado municipal, além dos vereadores Sandra Marrocos (PSB) e Jorge Camilo (PT).

Através de formulários, distribuídos pelos articuladores regionais no começo da atividade, os moradores elegeram como prioridades para compor as peças orçamentárias do Poder Executivo em 2010: em primeiro lugar, infraestrutura com 223 votos; depois saúde, com 220 votos, e trabalho e renda com 199 das indicações populares.

A coordenadora do Orçamento Democrático, Ana Paula Almeida, ressaltou a significativa participação da população nas audiências do Orçamento Democrático e anunciou as ações que o Governo Municipal vem executando na região ao longo destes quatro anos.

Obras na região – Dentre as obras e serviços, ela enumerou o recapeamento asfáltico e a recuperação de galerias pluviais no Bairro dos Novais; implantação da iluminação ornamental na Via Oeste, no Alto do Mateus; reforma da Escola Municipal João XXIII, Alto do Mateus; em andamento, a implantação do Centro Educacional Integrado, no Varadouro; a construção de uma Unidade de Saúde da Família, no Alto do Mateus; a construção de 297 unidades habitacionais, no Bairro dos Novais; a atuação do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP), beneficiando 344 pessoas da região, e ainda a realização do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que vai construir 624 casas para abrigar famílias que vivem às margens do rio Sanhauá, nas comunidades do ‘S’ (no Roger), Beira da Linha, Ilha do Bispo e Porto do Capim.

Na ocasião, a secretária de Habitação Social, Emília Correia Lima, esclareceu dúvidas que ainda persistiam entre os moradores das comunidades que serão atendidas pelo PAC.

“Estaremos finalizando nesta terça-feira a primeira etapa do Orçamento Democrático e é com muita satisfação que percebemos o aumento da participação das pessoas, que saem de suas casas e vem dialogar com o governo. Esta sim é uma política sadia, a verdadeira democracia”, afirmou o prefeito da Capital, Ricardo Coutinho, que explicou como o Orçamento Democrático atua em suas 14 regiões orçamentárias.

O Orçamento Democrático, segundo ele, tem o papel de definir as prioridades de cada região e a Prefeitura atuar para que a vontade popular seja respeitada e realizada. “É importante criar co-responsabilidades e fazer com que a população participe cada vez mais, porque democracia vai além de uma eleição de quatro em quatro anos, é preciso cobrar, fiscalizar o governo e este governo tem obrigação de distribuir melhor o dinheiro público para que ele volte em obras e serviços para o povo”.

Durante a audiência, o prefeito anunciou a realização de obras de saneamento básico para a 9ª região, com a construção de cinco estações elevatórias, o que corresponde a um investimento de R$ 1 milhão em recursos próprios da Prefeitura da Capital.