Iniciadas obras do Centro de Inclusão do Funcionários II

Por - em 51

As obras do Centro de Inclusão Social Maria de Nazaré, no Funcionários II, foram iniciadas nesta sexta-feira (6), com o lançamento da pedra fundamental no local. A cerimônia contou com a participação do prefeito Ricardo Coutinho (PSB) e do administrador de projetos da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), instituição parceira no projeto, Salim Seabra. O Centro está sendo construído próximo à comunidade que leva o mesmo nome e deverá oferecer cursos de capacitação profissional em gastronomia, construção civil e informática. O espaço terá capacidade para atender cerca de 200 pessoas e a estimativa é que a obra seja concluída em seis meses.

Para Ricardo Coutinho, a iniciativa representa o esforço da administração municipal em investir no empoderamento da população, qualificando os moradores para o mercado de trabalho e direcionando as ações do município para o exercício da cidadania. Ele disse que os cursos ministrados no local serão realizados através de uma parceria entre a Prefeitura e o chamado ‘Sistema S’, que inclui as entidades Sesc, Sebrae e Senai.

Estrutura – O Centro contará com salas de aula, biblioteca, refeitório e almoxarifado, além de espaço para a realização de reuniões e atendimento psicossocial. A unidade será edificada em uma área de 654 metros quadrados, no bairro Funcionário II, e vai contar com investimentos de quase R$ 1 milhão para a construção da obra, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal.

A diretora de Economia Solidária e Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Yara Pond, explicou que a PMJP vai destinar R$ 556 mil de recursos próprios para a implantação do Centro e R$ 335 mil serão repassados pela Chesf. Além de cursos profissionalizantes, a unidade também vai oferecer atendimento gratuito com psicólogos e assistentes sociais.

O administrador de projetos da Chesf, Salim Seabra, ressaltou a importância do projeto para comunidade e disse que a empresa se sente realizada em poder contribuir com o desenvolvimento dos moradores do local, através da política de responsabilidade social da corporação.

Participação – A idéia para a constituição dos cursos surgiu a partir de uma demanda da própria comunidade, tanto que o Centro será gerenciado por um conselho gestor formado pela Prefeitura, Chesf, Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – que desenvolve um trabalho de saúde popular na comunidade – e também por integrantes da Associação Comunitária Maria de Nazaré (Acoman).

Uma das representantes do Acoman, Teresinha Silva, disse que o início da construção do Centro significa a concretização de um sonho, visto que a há anos os moradores do local lutam para implantação desse equipamento. “Isso quer dizer que valeu a pena chorar, lutar, esperar, rezar, resistir. Valeu a pena sonhar”, comentou.

A Associação contribuiu diretamente com a elaboração do projeto e está envolvida em sua execução, tanto que alguns moradores do local foram contratados pela construtora responsável pela obra, a Beta, para atuar na edificação do prédio.