JP é contemplada com R$ 166,5 milhões para investir em mobilidade urbana

Por - em 69

A presidente da República, Dilma Rousseff, anunciou na manhã desta terça-feira (24) a liberação de investimentos da ordem de R$ 336 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC) – Mobilidade de Grandes Cidades, para execução de projetos que serão realizados em parceria com o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal de João Pessoa. A capital paraibana vai receber R$ 166.500.000 para modificar a estrutura de transporte público com a implantação do Bus Rapid Transit (BRT), priorizando a circulação de ônibus nos principais corredores com faixas exclusivas, além de outras intervenções que deverão, a médio e longo prazos, solucionar problemas que interferem no trânsito e transporte da cidade.

A cerimônia de anúncio dos estados e municípios contemplados pelo PAC 2 – Mobilidade Grandes Cidades aconteceu no Salão Oeste do Palácio do Planalto, em Brasília, e contou com as presenças do prefeito Luciano Agra; do superintendente executivo de mobilidade urbana (Semob), Nilton Pereira de Andrade; do secretário de Planejamento, Aldo Lopes e da secretária de Comunicação, Marly Lúcio.

“Recebemos com muita alegria a inclusão de João Pessoa no PAC da Mobilidade Urbana. Essa é a resposta de um trabalho encaminhado ao Ministério das Cidades em abril do ano passado e que, após várias negociações da Prefeitura de João Pessoa, contando com o apoio do Governo do Estado, finalmente agora foi aprovado”, comemorou Luciano Agra.

Ele destacou o trabalho de toda a equipe da Semob envolvida na elaboração e acompanhamento do projeto, e se disse orgulhoso, enquanto gestor, de ter a cidade de João Pessoa incluída na lista das capitais beneficiadas pelo Governo Federal.

“A proposta de João Pessoa foi toda elaborada e concebida por técnicos da Prefeitura, e isso me deixa duplamente satisfeito; tanto pela aprovação quanto pela comprovação da capacidade de nossa equipe, e do esforço que a gestão vem fazendo em profissionalizar o trabalho realizado pela nossa superintendência de mobilidade urbana”, ressaltou Agra.

Programa – O PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades foi lançado em 16 de fevereiro de 2011 com o objetivo de requalificar e implantar sistemas estruturantes de transporte público coletivo nas grandes cidades brasileiras. As obras garantem o compromisso do Governo Federal de melhorar a qualidade de vida da população nas grandes cidades brasileiras que enfrentam problemas graves de mobilidade urbana. O programa prevê, para os próximos anos, obras para dar acessibilidade, qualidade e conforto aos usuários do transporte público.

Impacto – O plano de mobilidade prevê medidas de impacto que deverão facilitar o tráfego dos ônibus de alta capacidade – articulados e bi-articulados (Bus Rapid Transit – BRT) e dos veículos na Capital. Com os recursos do PAC, serão realizadas intervenções em quatro principais corredores da cidade: Cruz das Armas, 2 de Fevereiro, Pedro II e Epitácio Pessoa. Essas vias contarão com faixas exclusivas para ônibus, onde circularão apenas os articulados e bi-articulados; estações modernas nos canteiros centrais; tecnologia que informa ao usuário o horário exato de chegada dos ônibus, além do sistema alimentador que parte dos bairros até terminais de integração, que serão construídos em pontos estratégicos dos três primeiros corredores.

Um exemplo prático é o do corredor Cruz das Armas. Pela proposta, será construído um terminal de integração próximo às Três Lagoas, que receberá os ônibus que saem dos terminais de bairro. Do terminal de integração das Três Lagoas até o Centro da cidade só circularão os ônibus articulados e bi-articulados. Estes circularão em faixas exclusivas, junto ao canteiro central, onde ficarão as estações de embarque e desembarque, e terão prioridade nos semáforos, que abrirão com a aproximação do ônibus, tirando-os da disputa com os demais veículos.

Veículos Leves sobre Trilho – Também haverá a construção de um terminal de integração intermodal para o sistema metropolitano, no Varadouro, ao lado do Terminal Rodoviário, abrigando todas as linhas de João Pessoa e linhas intermunicipais. Ele será integrado ao sistema ferroviário, que será substituído por um sistema moderno chamado Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) entre os municípios de Santa Rita e Cabedelo, projeto que será realizado pelo Governo do Estado, e prevê a requalificação e modernização dos trens. O uso de bicicleta e sua integração com o transporte público será estimulado para aumentar a área de influência das estações e, assim, torná-las mais acessíveis à população.

No corredor Epitácio Pessoa será implantada uma faixa exclusiva e prioritária para o transporte público (faixa esquerda). Duas faixas (centro e direita) serão para o tráfego misto de veículos. Serão construídas estações de parada de ônibus junto ao canteiro central e implantação de bicicletários nas imediações das estações. Também haverá linhas expressas. Dessa forma, por exemplo, uma linha sai do Centro da cidade e irá até Mangabeira, direto, sem nenhuma parada. Haverá um sistema de comunicação que informará aos usuários a proximidade dos ônibus e quanto tempo levará para chegar o próximo, com isso, o usuário terá a informação precisa do horário de chegada de seu transporte.

O recurso do PAC proporcionará a construção de um viaduto na interseção da BR- 230 com a Rua Waldemar Galdino Naziazeno (Geisel), interligando os bairros Cristo Redentor e Ernesto Geisel, além da construção de um terminal de integração nas imediações do Estádio Almeidão e investimentos nas vias que compõem o corredor para reduzir o tempo de viagem do ônibus que terá prioridade de tráfego.

Funcionando em 2014 – No plano está prevista a reestruturação do sistema de transporte urbano para integrar os diversos meios de transporte, beneficiando os deslocamentos em áreas de população de baixa renda.  “Essas intervenções vão atingir 84% dos bairros da cidade, contemplando 91% dos moradores, além de diminuir o número de ônibus nos principais corredores e reduzir o tempo de viagem dos usuários”, disse o superintendente da mobilidade, Nilton Pereira de Andrade.

Para ele, a política de transporte público que a PMJP vai oferecer à população com o novo sistema não é um plano para resolver os problemas de congestionamento, mas para determinar o tipo de cidade em que se quer viver. O prazo previsto para que o sistema esteja funcionando é maio de 2014.

Caminho Livre – Sem esperar pelos recursos do PAC da Mobilidade, o prefeito Luciano Agra decidiu implementar intervenções para aumentar a fluidez, dar mais mobilidade e organizar o trânsito da cidade com o lançamento do Projeto Caminho Livre. No último dia 19, o prefeito entregou à população a primeira obra do Caminho Livre: o binário do bairro Castelo Branco, que alterou a circulação do tráfego na Avenida presidente Castelo Branco e Rua Matos Cardoso, proporcionando mais fluidez ao tráfego e reduzindo conflitos naquela área.  As demais intervenções estão em andamento. Estão previstas alterações no trânsito dos Bancários, ampliação da Avenida Beira Rio, duplicação da via altiplano, ampliação da Avenida Epitácio Pessoa e melhoria no trânsito do Centro da cidade.