PlanMob João Pessoa - Plano Diretor de Mobilidade Urbana

João Pessoa ganha primeiro Parklet do estado e estimula humanização no Centro da cidade

Por - em 1938

Ascom/Semobsemob

Nesta terça-feira (04),quem transita pela Praça 1817, em frente a Galeria Augusto dos Anjos, no Centro da Capital, passou a observar uma novidade: é o Parklet-JP, novo espaço de convivência instalado em um trecho da rua. Neste modelo o equipamento urbano é inédito no estado e foi desenvolvido por um estudante da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), através de uma parceria com a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP).

O primeiro Parklet-JP possui estrutura feita de pallets de madeira, no Centro de João Pessoa. Ele tem como objetivo suscitar o debate público a respeito do uso do espaço urbano, avaliar as reações e respostas da população em relação a esse tipo de intervenção e fazer um estudo a respeito.

O projeto piloto foi desenvolvido pelo Departamento de Engenharia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), patrocinado e implantado pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) e apoio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb). Para o superintendente da Semob-JP, Carlos Batinga, a iniciativa visa criar espaços públicos junto aos ambientes que possuem áreas reduzidas para convivência. “O nosso objetivo é substituir o espaço do carro por um espaço de convivência para pessoas, isso é humanizar a cidade”, ressalta Batinga. Ainda segundo o superintendente, o mobiliário urbano futuramente também pode ser colocado em outros pontos da cidade.

O Parklet-JP surgiu em João Pessoa como trabalho de conclusão do Curso de Engenharia Civil da UFPB,desenvolvido pelo estudante Allisson Bruno com orientação do professor Nilton Pereira de Andrade. O projeto vai ficar em observação durante um mês recebendo a opinião de comerciantes, taxistas, moradores e demais pessoas que frequentam a localidade, desta forma, será analisada posteriormente a utilidade do Parklet.

Origem – Parklet é um pequeno parque que funciona como uma extensão da calçada ou ampliação do passeio público. São implantados em lugares reservados ao estacionamento de automóveis, substituindo-os com uma plataforma onde podem ser colocadas cadeiras, mesas, guarda-sóis, plantas, aparelhos de exercício físico e outros objetos ou elementos de mobiliário, além de vegetação. Caracterizam-se também por serem estruturas removíveis e temporárias que podem permanecer no local por um dia, por alguns meses ou até anos.

O conceito surgiu em 2005, na cidade de São Francisco, nos EUA, e de intervenção temporária pontual com o objetivo de discutir o uso do solo dedicado aos carros e as pessoas e com o tempo passou a ser adotado como política pública pela cidade em 2010, estabelecendo meios formais para que pessoas, grupos e organizações propusessem e instalassem Parklets em certos pontos da cidade. Desde então, diversas pessoas e organizações ao redor do mundo têm estabelecidos projetos similares. No Brasil, o conceito chegou em 2012, na cidade de São Paulo, que após boa avaliação da população transformou a ideia em política pública, regulamentando-a.