João Pessoa se transforma na Capital da robótica no fim de semana

Por - em 47

A V Olimpíada Brasileira de Robótica foi aberta oficialmente neste sábado (11) na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no altiplano. A solenidade contou a presença do prefeito Luciano Agra, da Secretaria de Educação do Município, Ariane Sá, o Secretario Adjunto de Ciência e Tecnologia, Rubens Freire, o coordenador da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), Aquiles Burlamaqui, o diretor de tecnologia da informação e comunicação, Fabrício Feitosa, e o diretor da empresa Pete, Marcelo Duarte.

O prefeito Luciano Agra  conversou com alunos, com os professores e disse que estava muito feliz com o empenho e a dedicação de todos nesta competição. “É um passo que estamos dando junto com os estudantes rumo ao futuro”, comentou.

“Conseguimos perceber em um evento como este que o incentivo que estamos levando a esses alunos está conseguindo resultados surpreendentes. Temos a prova do trabalho criativo que eles são capazes de fazer. Isso nos dá orgulho em sermos paraibanos”, disse o prefeito.

A Prefeitura Municipal de João Pessoa também conta, como projeto permanente, como um Laboratório de Robótica, que funciona nas quartas e sextas, nos três turnos de funcionamento, no primeiro pavimento da Torre Mirante da própria Estação.

A secretaria de educação, Ariane Sá, ficou impressionada com o número de participantes da Paraíba nesta olimpíada. “O que é motivo de orgulho para todos nós sermos o Estado com maior número de participantes”, acrescentou Ariane Sá.

Durante todo o dia os estudantes da rede de ensino fundamental e equipes do ensino médio e técnico das redes pública e particular de ensino se revezaram na competição. Após a leitura pública das regras os organizadores demonstraram o processo de arbitragem e divulgação dos resultados. Na sequencia, foram preparadas as arenas de competição, sorteio das equipes e dos juízes das partidas.

O estudante Lukas Jesus, da Escola Municipal Ana Cristina Rolim (Mangabeira), disse que é muito importante este evento porque conta muito para o futuro de todos. A coordenadora e professora, Joana Bosco, da equipe Robôtrom, comentou que esse é o primeiro ano de envolvimento dos estudantes. “Eles apreenderam em duas semanas a utilizar o kit robótica”, acrescentou.

Foram três rodadas em que participam todas as equipes. A primeira rodada tem início às 12h30 as 47 equipes do ensino fundamental e cinco equipes do ensino médio e técnico, valendo neste caso a maior nota que será exibida no placar eletrônico instalado nas quatro arenas montadas para a competição.

A segunda rodada aconteceu na metade da competição. A terceira rodada teve início às 16h00, com o mesmo procedimento da primeira, em que passou a valer a maior nota das três rodadas. Às 17h o organizador local conduziu a cerimônia de premiação das equipes.

A Olimpíada aconteceu em três tipos de provas, duas teóricas (a Teórica e a Duathlon) e uma prática. A “Prova Teórica” foi feita com alunos do ensino fundamental que ainda não tiveram vivência com robótica. A “Prova Duathlon” para jovens do ensino médio e técnico que também não tiveram o contato. A final será em São João Del Rei (MG), no período de 18 a 21 de setembro.

O evento é uma parceria entre a Universidade Estadual Paulista (UNESP), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Prefeitura Municipal de João Pessoa e Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Arte.

Ainda no local, Agra ganhou o certificado de “Personalidade Estação Cabo Branco” e também visitou a exposição “Festejos Juninos – Sonhos e Alegrias do Povo Nordestino”.