João Pessoa vai ganhar novas praças Iemanjá e Sol Nascente

Por - em 21

Na manhã desta segunda-feira (30), o prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, assinou a autorização para o processo de licitação da construção das novas praças de Iemanjá e do Sol Nascente, localizadas nas praias do Cabo Branco e do Seixas, respectivamente. A assinatura aconteceu no Paço Municipal (Centro) e contou com a presença do secretário de Turismo (Setur), Elzário Pereira, além de representantes de moradores e comerciantes dos lugares que ganharão os novos equipamentos.

Segundo o prefeito, a concepção das plantas arquitetônicas se baseia nos Estudos da Dinâmica Costeira, que resultaram em um projeto de proteção à falésia do Cabo Branco. “Tudo foi feito em total acordo com esse estudo. É um plano de intervenção amplo, com participação popular e cuidado absoluto com a preservação do meio ambiente”, enfatizou. Uma das medidas de preservação é o recuo do arrimo existente em alguns trechos da Praça de Iemanjá, com uma faixa variável de até 15 metros, devolvendo à natureza uma faixa maior de praia.

O secretário Elzário Pereira acrescentou que os projetos das praças foram bastante discutidos pelo Comitê Gestor do Projeto Orla, formado por seis representantes do Governo Municipal e seis da sociedade civil. “Não foi algo imposto, pelo contrário. Houve muita discussão em torno da aprovação desses projetos”, afirmou. As secretarias participantes do comitê são a de Planejamento (Seplan), diretora dos projetos, a de Meio Ambiente (Semam), a de Infraestrutura (Seinfra), a de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), a de Educação (Sedec) e a Setur.

Novas praças – A Praça de Iemanjá, orçada em R$ 617 mil, está em um ponto privilegiado da Capital, pois propicia uma visão geral orla. É também um local de uso religioso, pois acomoda uma imagem de Iemanjá. Com a renovação, o lugar ganhará bancos de madeira e concreto, palmeiras e um deck de madeira que se alonga sobre o mar sem tomar espaço da praia. Segundo dados da Seplan, o projeto se insere dentro do contexto de implantação do Parque Cabo Branco e se adequa à preservação ambiental do lugar, protegendo os elementos costeiros frágeis e minimizando os impactos visual e ambiental na paisagem. A praça terá, ao todo, uma área de 830,39 m².

Na Praça do Sol Nascente, localizada no ponto mais oriental das Américas, o projeto vai criar um espaço apropriado para aos comerciantes que já trabalham no local e deixar livre a área de acesso à praia do Seixas. “O que hoje é a Praça do Sol Nascente é algo muito tosco, feio mesmo. Levando em conta que cada ambiente tem uma identidade, procuramos dar àquele espaço o tratamento adequado, com beleza e funcionalidade”, disse o prefeito Luciano Agra.

Orçada em R$ 1,63 milhões, essa praça será construída em 4.794,16 m² e terá 20 quiosques em meia-lua (dez quiosques de cada lado), banheiros públicos, bancos de ipê envernizado e uma plataforma de madeira que se alonga até a praia. Há, ainda, circundado por palmeiras, um círculo de colunas semelhante ao complexo se Stonehenge (Inglaterra), no meio do qual se encontra um imenso mapa mundi desenhado no chão. Nesse ponto, o visitante poderá saber a hora das principais cidades do planeta, de acordo com a localização da própria sombra sobre o mapa.