Jornalista pessoense lança seu primeiro livro no Casarão 34

Por - em 292

O jornalista Phelipe Caldas lança nesta quarta-feira (19) o seu primeiro livro, em solenidade que acontece a partir das 19h, no Casarão 34. “Academias de Bambu – boemia e intelectualidade nas mesas de bar” resgata a boemia pessoense na década de 60 e conta a história da Churrascaria Bambu, maior reduto intelectual da cidade na época, fundada ainda na década de 50 e demolida em 1973, depois de um trágico incidente que marcou sua história.

O autor considera este trabalho uma grande reportagem que se preocupa em redescobrir um importante momento de João Pessoa. “O livro é uma referência tanto para quem viveu a época, pois terá a oportunidade de relembrar momentos históricos, quanto para os mais novos, que poderão conhecer e desfrutar de um período em que boemia era sinônimo de criação cultural e efervescência política”, garante Phelipe.

Publicado pela Editora Universitária da UFPB, o livro analisa, a partir de diversos exemplos práticos, a importância da mesa de bar nas discussões políticas e nas produções culturais de uma região, principalmente em épocas de repressão. O autor inicialmente apresenta algumas características marcantes da boemia paraibana, pernambucana, cearense, paulista e carioca, conta um pouco da “belle époque” francesa na primeira metade do Século 20 e, finalmente, chega ao mais conhecido bar da história pessoense.

O que representou –
O livro traz um verdadeiro perfil histórico sobre a Churrascaria Bambu. Primeiro, ele situa o leitor, explicando o que realmente significou aquele bar: aborda sua localização no Parque Solon de Lucena, como foi fundado, quem eram seus donos, seus garçons e principalmente quem o freqüentava.

Em seguida o autor descreve o que classificou como sendo a “Bambu Intelectual”, quando o bar se tornou ponto de encontro de intelectuais como Virgínius da Gama e Melo e de todos os que compuseram o Grupo Sanhauá – jovens escritores que de boêmias discussões na Bambu escreveram e publicaram vários livros. Para tanto, Phelipe Caldas entrevistou alguns dos grandes intelectuais que freqüentaram a Bambu, tais como Biu Ramos, Sérgio de Castro Pinto, Arion Farias, Marcos Tavares, entre outros.

Após todo o resgate áureo acerca do bar mais famoso que a cidade já teve, o autor narra de forma inédita em livro os acontecimentos que cercaram o famoso “Crime da Bambu”, a partir dos registros dos principais jornais paraibanos existentes na época.

Nas entrevistas realizadas pelo autor, o tal crime é apontado como o verdadeiro motivo para a posterior demolição da Churrascaria Bambu. E é justamente com este último assunto que o livro prossegue: por que de fato a Bambu foi demolida em 1973?

Phelipe Caldas explica que não tem a pretensão de apresentar uma única conclusão aos fatos, mas diz que “a leitura do livro ajudará as pessoas a saberem sobre os acontecimentos que cercaram o fim daquela singular experiência boêmia”.

O autor – Phelipe Caldas nasceu em João Pessoa e lança seu primeiro livro aos 25 anos. A obra é fruto de um trabalho apresentado pelo autor em 2004, à Universidade Federal da Paraíba, como requisito para a conclusão do curso de Jornalismo. Sob orientação do professor e escritor Hildeberto Barbosa Filho (que assina a orelha do livro), o trabalho recebeu nota máxima da banca examinadora, que sugeriu sua publicação. Phelipe explica que desde então já fez algumas melhorias no trabalho e que sua publicação em livro é uma conquista que já perseguia há algum tempo.

Mais informações com o autor, pelo 9996-0151.