Jovens do Peti visitam aldeias indígenas para conhecer etnias

Por - em 20

As crianças e adolescentes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) Centro Livre Meninada I (CLM I), da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), fazem nesta quinta-feira (8) uma visita a aldeias indígenas dos municípios de Rio Tinto e Baía da Traição. A visitação é parte do projeto “Multiculturalismo”, desenvolvido pelo CLM I, com o objetivo de oportunizar a reflexão acerca da importância do respeito à diversidade humana, às diferentes etnias e culturas que tiveram participação na formação do povo brasileiro e seus costumes.

A coordenadora do Centro, Catarina Arruda, explica que a inspiração para o projeto surgiu a partir da data do descobrimento do Brasil, comemorada no dia 22 de abril. “No grupo do CLM I, existe um menino cuja família é descendente de índios e seu pai será nosso guia neste roteiro. Eles estão confeccionando uma peteca para presentear as crianças da comunidade indígena. A peteca é o único brinquedo de origem brasileira que foi repassado pelos índios na época da colonização, tornando-se popular e chegando a ser reconhecido mundialmente e faz parte de uma modalidade nas olimpíadas. Eles também as presentearão com um texto que fala sobre o direito de brincar e agradecerão a receptividade”, informou Catarina Arruda.

Ações Ecológicas – No mês de março, os meninos e meninas do CLM I realizaram uma caminhada ecológica pelo bairro de Jaguaribe, com o objetivo de promover uma conscientização, buscando combater o desperdício de água e fazendo uma alusão ao Dia Mundial da Água, comemorado no dia 22 de março. Outra atividade realizada pelo grupo foi uma ação ecológica nas praias de Cabo Branco e Tambaú, a fim de recolher resíduos jogados nas areias, principalmente as sacolas plásticas, e distribuir panfletos conscientizando as pessoas para não poluir o meio ambiente.

“A ação foi motivada por uma visita que eles fizeram ao Projeto Peixe Boi, em Itamaracá, onde tiveram a oportunidade de adquirir conhecimentos sobre este mamífero, e ficaram sabendo que em todo o Brasil só restam entre 400 a 500 espécies do tipo. Através de pesquisas também descobriram que as tartarugas marinhas são outra espécie ameaçada de extinção, e que o lixo jogado no mar, como sacos plásticos, contribuem para que várias delas acabem morrendo”, esclareceu a coordenadora Catarina Arruda.

As duas atividades fazem parte do Projeto “Vamos Eco-Ar Jaguaribe”, que há três anos vem transformando crianças e adolescentes atendidos pelo Peti Centro Livre Meninada I e escolas vizinhas em multiplicadores ambientais, com o objetivo de difundir o respeito ao meio ambiente com os moradores do bairro de Jaguaribe e comunidades próximas. Todas as atividades contaram com a colaboração dos educadores Ana Flávia Santos, Clareana Cendy, Mariana Lígia da Silva e Sandra Xavier.