JP é a 1ª a aprovar Plano de Recuperação da Mata Atlântica

Por - em 66

A Capital da Paraíba, admirada por conservar grandes áreas verdes, é a primeira cidade brasileira a dispor de um Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica. O Plano foi aprovado, por unanimidade, pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam), instância que reúne 17 órgãos representativos da sociedade. O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, irá apresentar o trabalho realizado à população nesta sexta-feira (12), às 9h, no Parque Zoobotânico Arruda Câmara, a Bica.

A elaboração do Plano foi coordenada pela Divisão de Estudos e Pesquisas da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, a partir da necessidade de planejar estratégias de políticas públicas para a preservação do meio ambiente. Segundo Ligia Tavares, geógrafa secretária do Meio Ambiente do Município, este plano tem como objetivo direcionar a política ambiental da cidade, visando a proteção de nosso bioma, a Mata Atlântica.

“A sua aprovação representa o primeiro passo nessa direção. Desta forma, a gestão municipal caminha numa mesma orientação: manter o verde de nossa cidade, proteger os nossos mananciais hídricos e nascentes, monitorar a poluição, enfim, salvaguardar os serviços ambientais que a natureza presta gratuitamente e que são essenciais às nossas vidas e de todos os seres viventes”, complementou.

Metodologia – O Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa foi estabelecido em cinco fases. Em um primeiro momento, técnicos da Semam trabalharam com pesquisa bibliográfica e cartográfica, estabeleceram critérios de escolha das dez áreas prioritárias e definiram parâmetros de classificação das áreas degradadas.

Na segunda fase foram feitos trabalhos orientados de campo, com sobrevôo planejado do município, atualizando os dados cartográficos e, ainda, pesquisa terrestre para reconhecimento dos problemas e potencialidades de cada área. Na terceira e quarta fases todas as informações foram analisadas para produção de um relatório técnico-científico. Por fim, foram feitas as comparações entre as bases cartográficas do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica com o Macrozoneamento do Plano Diretor e das áreas de risco elaboradas pela Coordenadoria Municipal da Defesa Civil.

O bioma – A Mata Atlântica é o bioma mais rico em diversidade do planeta, ocupando 15% do território nacional em 17 estados brasileiros. Na Paraíba, o bioma Mata Atlântica ocupa uma área de 1,16% da área total do Estado, ou seja, 56.585 km². Sete, dos nove maiores rios brasileiros, estão neste bioma. Proteger a Mata Atlântica também é proteger os processos hidrológicos responsáveis pela quantidade e qualidade da água potável para aproximadamente 3,4 mil municípios e para muitos setores da economia nacional como a agricultura, pesca, indústria, turismo e geração de energia.

A Lei da Mata Atlântica (Lei Federal 11.428/2006 e o Decreto Lei 6.660/2009) determina que é dever dos estados e municípios preservar e recuperar o bioma.

A biodiversidade da Mata Atlântica de João Pessoa – A cidade está composta por matas fechadas, mangues, restingas, matas ciliares e arborização urbana, que compõem o plano de governo da atual gestão, com a produção de mudas nativas em áreas de todo o município. Foram levantadas 581 espécies vegetais e 275 da fauna, sendo que 20 espécies estão ameaçadas ou vulneráveis de extinção.

Diretrizes para conservação e recuperação – O Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa prevê uma série de diretrizes estratégicas como a criação de Unidades de Conservação Públicas e Privadas, formação de corredores ecológicos, proteção e recuperação de mananciais, implantação de atividades de ecoturismo, ações de fiscalização e, ainda, indicação de áreas para expansão urbana.

SOS Mata Atlântica na Bica – O Caminhão da SOS Mata Atlântica está estacionado no Parque Zoobotânico Arruda Câmara, Bica, desde a última quarta-feira (10/11). Até este domingo (14/11), o projeto itinerante da ONG está levando informações sobre a Mata Atlântica e realizando diversas atividades gratuitas com a população.

O projeto “A Mata Atlântica é aqui – exposição itinerante do cidadão atuante”, da Fundação SOS Mata Atlântica, é composto por um caminhão totalmente adaptado pela ONG e sua equipe de educadores ambientais, para promover a conscientização ambiental por meio de diversas atrações, entre elas, palestras, oficinas, monitoramento da qualidade da água do Rio Sanhauá, jogos educativos, exibições de vídeos, exposições e maquete interativa.

O caminhão pode ser visitado no período das 10h às 16h na Bica. A iniciativa tem o patrocínio do Bradesco Cartões, Natura e Volkswagen Caminhões & Ônibus e apoio local da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), Associação Guajiru, Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (APAN) e da Sociedade de Proteção Animal Amigo Bicho (APAAB).

O caminhão já passou por mais de 60 cidades em 16 estados brasileiros com o objetivo de levar educação e conscientização ambiental para os lugares onde ocorre a Mata Atlântica. A Fundação SOS Mata Atlântica compensará as emissões de gases do caminhão por meio de plantios realizados pelo Programa Florestas do Futuro, da própria ONG. O projeto itinerante, agora em seu segundo ciclo anual, visita as regiões Nordeste, Centro-oeste e Sudeste do Brasil. Neste roteiro, o projeto já visitou o Distrito Federal, Goiás, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Depois da visita a João Pessoa, o caminhão seguirá para o Ceará.