JP tem três casos de Gripe A; outros três são monitorados

Por - em 31

Mais dois casos da Gripe A (Influenza H1N1) foram confirmados em João Pessoa, na última sexta-feira (3) a noite, e outros dois casos estão sendo monitorados na Capital. Com estes, sobe para três o número de pessoas infectadas pela nova gripe na cidade. Na noite de domingo (5), o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, fez pronunciamento oficial na televisão anunciando mudanças no procedimento a ser realizado em pessoas com suspeita de estarem com a Gripe A.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que foi comunicada na sexta a noite que os dois adolescentes que estavam em monitoramento pela Secretaria, suspeitos de estarem com a doença, tiveram os exames de sorologia positivos. Os exames foram realizados pelo Instituto Evandro Chagas, localizado em Belém do Pará e que é referencia nas regiões Norte e Nordeste para o diagnóstico da Gripe A.

No entanto, nenhum dos dois rapazes apresenta mais os sintomas da doença. O de 16 anos, que tomou a medicação por cinco dias, deve ser liberado do isolamento e do monitoramento domiciliar. Já o de 15 anos, deverá passar mais alguns dias sendo acompanhado pela equipe da diretoria de Vigilância a Saúde, da SMS.

Ao todo, a cidade de João Pessoa já confirmou três casos da doença e oito foram descartados. Outras três pessoas estão sendo monitoradas atualmente, por serem suspeitos.

Monitoramento – Os três casos suspeitos são de uma mulher e duas adolescentes. As três estiveram na Argentina. A engenheira tem 49 anos, que procurou o serviço de saúde na sexta-feira, está em isolamento e monitoramento domiciliar. Uma estudante universitária, que procurou o Hospital Universitário na sexta-feira a noite (3) também apresentou alguns dos sintomas da nova gripe e está em isolamento e monitoramento domiciliar.

No sábado (4), uma adolescente de 17 anos, que esteve na Argentina e teve contato com um dos casos confirmados da doença em João Pessoa, passou a apresentar alguns dos sintomas. Antes a jovem estava sendo monitorada por ter tido contato próximo com um suspeito, agora o monitoramento acontece porque existe a suspeita de ela também estar com a nova gripe.
As pessoas que apresentam alguns dos sintomas e que estiveram recentemente em um País com grande número de casos da doença ou que tiveram contato mais próximo com pessoas que estiveram nesses países ou tiveram a nova gripe, devem procurar o Hospital Universitário Lauro Wanderley. Caso alguém precise esclarecer dúvidas, deve ligar, em horário comercial para o telefone 0800 282 7959 ou para o 8844-4779, em finais de semana e feriados.

Mudança – A partir de agora, apenas pessoas vulneráveis, casos graves ou amostras, no caso de surtos localizados, passarão pelo exame que determina o contágio pelo vírus Influenza H1N1, causador da Gripe A. A intenção do Ministério da Saúde é promover o uso racional do antiviral e evitar possível resistência ao medicamento.

Na noite de domingo, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, fez pronunciamento oficial falando sobre as mudanças. Ele explicou que a medicação será administrada somente aos pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas desde o início dos sintomas ou às pessoas que têm maior risco de apresentar quadro clínico grave, de acordo com avaliação médica.

Conforme as novas determinações, só serão internadas em unidades hospitalares as pessoas que apresentarem quadro grave da doença. Se os sintomas forem leves, o médico fará as recomendações necessárias para isolamento domiciliar, período de afastamento de trabalho e vai prescrever o tratamento dos sintomas. Nesses casos, não será necessário confirmação por exame laboratorial.
 
Confira as novas recomendações do Ministério da Saúde:
 
– Ao sentir sintomas de gripe, deve-se procurar o serviço de saúde mais próximo, como já ocorre com o Influenza sazonal.
 
– Se os sintomas forem leves, o médico fará as recomendações necessárias para isolamento domiciliar, período de afastamento de trabalho e vai prescrever o tratamento dos sintomas. Nesses casos, não será necessário confirmação por exame laboratorial.
 
– Se o quadro clínico inspirar cuidados ou for grave, indicando necessidade de internação, o paciente será encaminhado para um dos 68 hospitais de referência.
 
– A confirmação por exame laboratorial se dará apenas em pessoas vulneráveis, casos graves ou em amostras (no caso de surtos localizados).

– Para promover o uso racional do antiviral e evitar possível resistência ao medicamento, ele será administrado somente aos pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas desde o início dos sintomas ou às pessoas que têm maior risco de apresentar quadro clínico grave, de acordo com avaliação médica. Alguns países, como a Dinamarca, Japão e Hong Kong já demonstraram resistência aos medicamentos. Isso é mais uma prova de que o uso desnecessário e a automedicação podem gerar resistência ao vírus.
 
– Todas as estratégias de vigilância realizadas nas fronteiras continuam e se mantém nos portos, estradas e aeroportos.