JP tem um dos menores índices em mortalidade infantil do NE

Por - em 152

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Saúde (SMS), tem investido na qualidade de vida das gestantes e crianças do município. A iniciativa foi determinante para a redução da taxa de mortalidade infantil na Capital em 2008, na faixa de 12,7 mortes a cada mil crianças nascidas vivas, enquanto na Região Nordeste foram confirmadas 34,4 crianças mortas para cada mil, segundo o IBGE.

As ações da prefeitura começam na atenção pré-natal e vão do parto e atendimento especial do recém nascido até o primeiro ano de vida. Esse esforço concentrado garante à Capital bons indicadores também em relação à Paraíba. No Estado, o IBGE registrou, em 2008, 36,5 mortes para cada mil nascidos vivos.

De acordo com a Diretora de Vigilância à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Julia Vaz, a mortalidade infantil e na infância é um indicador importante, não somente em referência aos cuidados em saúde, como também às condições socioeconômicas da região.

“Conhecer o perfil da mortalidade infantil é fundamental para a formulação de estratégias que permitam o seu controle, que começa na assistência adequada à mulher durante a gravidez e o parto e se estende ao acompanhamento das crianças consideradas de risco”, afirmou.

No final de 2009, dados divulgados pela SMS, por meio da Diretoria de Vigilância à Saúde, indicaram redução de 30% na taxa de mortalidade infantil na Capital. O mesmo levantamento verificou que o número de crianças residentes em outros municípios que buscaram assistência em João Pessoa naquele ano foi superior ao número de crianças que moram na Capital, refletindo a sobrecarga nos serviços municipais de saúde.

Entre as ações que garantem os bons números de João Pessoa, destacam-se os seguintes serviços prestados pela Secretaria Municipal de Saúde: acompanhamento pré-natal das grávidas nas Unidades Básicas de Saúde, assistência ao parto e ao recém nascido por meio do incentivo à amamentação e campanhas de vacinação com metas superiores a 95% de cobertura, além da suplementação em vitamina A – considerada pelo Ministério da Saúde como a melhor do Nordeste em 2009.