JPSax é atração do Sabadinho Bom na Praça Rio Branco

Por - em 64

A atração do projeto Sabadinho Bom deste sábado (3), ao meio dia, na Praça Rio Branco, Centro da Capital, é o ‘JPSax’. O grupo é bastante conhecido na cidade e promete animar o público com clássicos do choro. O projeto é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

Considerado um dos eventos mais atrativos do Centro da cidade, o Sabadinho Bom tem se destacado por promover semanalmente uma homenagem ao gênero chorinho, além de acontecer em um horário alternativo, durante a tarde do sábado. O evento atrai um maior número de pessoas a cada edição, com a presença de moradores da cidade e muitos turistas amantes do gênero.

JPSax – O grupo foi criado em 1994 e está ligado ao Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Orquestra Sinfônica da Paraíba.

Formado pelos músicos João Leite Ferreira (sax soprano), José de Arimatéia – Teinha (sax alto), Rivaldo Dias (sax tenor), Heleno Feitosa Costa – Costinha (sax barítono), Xisto Medeiros (contrabaixo), Giovanni Medeiros (teclados) e Gledson Meira (bateria), o JPSax já participou de importantes festivais de música nacionais e internacionais, a exemplo de três edições do Festival Nacional de Música de Câmara de João Pessoa, Festival de 70 anos do Conservatório Pernambucano de Música e Festival Internacional de Musique Universitaire, em Belfort, na França. Em novembro de 2004, o JPSax comemorou 10 anos com um show no X Festival Nacional de Arte (Fenart), na Capital.

O grupo gravou três CDs: ‘JPSax Quarteto’ (1998), ‘Brasil: Um século de saxofone’ (2001) e ‘Solto na Buraqueira’ (2007), este último lançado durante o Encontro Nacional de Saxofonistas, em Tatuí (SP). O terceiro CD traz músicas de outros compositores, como PaquitoD’Rivera, Moacir Santos, Sivuca e Severino Araújo.

No repertório, além das músicas autorais o grupo executa composições de grandes nomes da música brasileira, a exemplo de ‘Espinho de Bacalhau’, de Severino Araújo; ‘Saxofone Porque Choras?’, de Ratinho; ‘Três Pontas’, de Milton Nascimento; ‘Solto na Buraqueira’, de Chico César e ‘Forró Baquiano’, de Sivuca.