JPSax é atração no Ponto de Cem Réis desta sexta-feira

Por - em 32

As melodias do saudoso Pixinguinha, Severino Araújo, e tantos outros compositores brasileiros serão relembradas pelo grupo JPSax nesta sexta-feira (16), no Ponto de Cem Réis, a partir das 18h, dentro do Projeto Circuito Cultural das Praças. Às 20h, na Feirinha de Tambaú, será a vez da apresentação dos emboladores de coco Frank e Nasar. A noite ainda terá o Grupo Imburana de Danças Populares, no Largo de São Pedro, por volta das 22h30, que vai comemorar três anos de existência com muito coco-de-roda, ciranda, samba e maracatu. A realização é da Fundação Cultura de João Pessoa (PMJP).

O músico Rivaldo Dias, do JPSax, lembrou que o Circuito das Praças veio para fortalecer a inclusão cultural. “O projeto é o que mais bem retrata esse fator. Porque leva arte e cultura a todos os cantos da cidade, sem discriminação de classe social. Ele faz com que os grupos e artistas que se apresentam adentrem no cotidiano destas pessoas, dialogando com suas dificuldades e, principalmente, levando a estas um pouco de oxigênio cultural, despertando sonhos e transformando-os em realidade, nem que seja por alguns minutos”, destacou o artista.

O JPSax vai subir no palco do Ponto de Cem Réis com João Leite Ferreira (sax soprano); José de Arimatéia Veríssimo, conhecido pelo público como Teinha (sax alto); Rivaldo Dias (sax tenor); Heleno Feitosa Costa Filho, o Costinha (sax barítono); Xisto Medeiros (contrabaixo); e Gledson Meira (bateria). No repertório, estarão composições como ‘Sofia’ (Paquito D’Rivera), ‘Dúvida Cruel’ (Chico César/Itamar Assumpção), ‘Gostosinho’ (Moacir Santos), ‘Três Pontas’ (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos), ‘Choro do Zé’ (José Carlos), ‘Forró Bachiano’ (Sivuca), ‘Um Chorinho em Aldeia’ (Severino Araújo) e ‘Docinho’ (Costinha), além algumas obras de Pixinguinha, Severino Araújo, Moacir Santos, Paulo Moura, Duda, Edson Rodrigues, entre outros artistas.

Trajetória – O JPSax foi formado em 1994. O grupo está ligado ao Departamento de Música da UFPB e a Escola de Música da UFRN, com músicos da Orquestra Sinfônica da Paraíba. Além de trabalhar composições próprias, os integrantes primam por um repertório brasileiro, dando ênfase ao trabalho autoral de novos artistas.

Em 1998, o JPSax gravou o primeiro CD, intitulado ‘JPSax Quarteto’.  O segundo trabalho foi lançado em 2001, com o nome de ‘Brasil: um século de saxofone’. No álbum, o grupo presta homenagens a importantes saxofonistas brasileiros, a exemplo de Anacleto de Medeiros, Pixinguinha, Severino Araújo, Moacir Santos, Paulo Moura, Duda, Edson Rodrigues, Nailo Proveta, Carlos Malta, entre outros artistas. O terceiro registro foi o ‘JPSax, Solto na Buraqueira’, lançado em 2007, na cidade de Tatuí (SP), durante o encontro Internacional de Saxofonistas. Nele, há obras autorais e também de compositores como Paquito D’Rivera e Chico César, só para citar exemplos.

Imburana e emboladores de coco – O Grupo Imburana de Danças Populares trabalha com folguedos como coco-de-roda e ciranda. Na apresentação desta sexta-feira, os componentes vão comemorar o terceiro aniversário de fundação. Para isso, haverá artistas e brincantes convidados, levando ao público outros tipos de manifestações, a exemplo do maracatu e samba.

A formação do grupo partiu de uma disciplina do departamento de Artes da UFPB, ministrada pelo professor doutor Marcello Bulhões. Atualmente, a ideia está em transição, para se formar na Associação Imburana de Cultura Popular.