Juventude Cidadã inicia aulas teóricas e capacita 700 alunos

Por - em 24

Mais de 700 jovens participaram da primeira fase dos cursos ministrados pela Agência Mandalla dentro do Programa Projovem Trabalhador – Juventude Cidadã de João Pessoa. No projeto, a Agência Mandalla é responsável pelos cursos de qualificação nas áreas de Agroextrativismo, Pesca e Piscicultura e Meio ambiente, Saúde e Promoção da Qualidade de Vida.

Após a chamada fase teórica de aulas, o próximo passo será aprender a colocar em prática o método da tecnologia do Sistema Mandalla de Produção Agropecuária. Essa tecnologia possibilita ao agricultor cultivar em pequenos espaços rurais e urbanos, em convivência harmônica com o meio ambiente, plantas, frutas, verduras, tubérculos e hortaliças e ainda criar pequenos animais. Com a produção é possível alimenta uma família inteira e com o excedente constituir uma renda mensal de até R$ 2 mil reais. O sucesso do sistema é a sua surpreendente capacidade de produção em pouco espaço físico e com baixa utilização de água.

Instituição premiada – Com apenas seis anos de existência, a Agência Mandalla já conquistou no âmbito do terceiro setor mais de 20 premiações nacionais e internacionais. Recentemente a instituição teve seu trabalho reconhecido como uma das melhores soluções do mundo para comunidades rurais, no Desafio Changemakers, promovido pela Ashoka e pela Fundação Bill e Melinda Gates, do empresário Bill Gates, fundador da Microsoft.

Em sua primeira ação em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp), da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), e o Ministério do Trabalho e Emprego do Governo Federal, a Agência Mandalla não mede esforços para a realização de um bom trabalho. “Nosso objetivo é ter em casa o mesmo reconhecimento que já conquistamos lá fora. E essa parceria representa a criação de oportunidades e de futuro profissional para esses jovens”, afirmou o diretor executivo Tárcio Handel.
 
Juventude Cidad㠖 O programa Juventude Cidadã visa preparar jovens entre 18 e 29 anos para o mercado de trabalho e para ocupações alternativas geradoras de renda. O programa é destinado a jovens de baixa renda, que tenham completado o ensino fundamental e estejam fora do mercado de trabalho.

A partir dos arcos ocupacionais classificados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, os jovens passam por um processo de qualificação básico, que é aplicado a todos os cursos, e uma qualificação específica, focada na formação profissional do arco pretendido. Em João Pessoa o programa oferece 4.020 vagas em cursos de profissionalização, além de lanche, vale-transporte e bolsa-auxílio de R$ 100,00 mensais para os alunos durante o período de realização dos cursos.
 
Bônus tecnológicos – Como forma de incentivar e interagir ainda mais os alunos do Projovem, a equipe Mandalla criou um blog (www.agenciamandalla.org.br/projovem/) para os jovens participantes dos cursos registrarem todas as etapas de aprendizagem.  Os alunos também vão poder participar de um concurso para escolha da logomarca da “Geração Mandalla” e o vencedor será contemplado com um computador.