Lagoa volta a ‘respirar’ com ação desenvolvida pela PMJP

Por - em 42

Resgatar a qualidade ambiental de um dos principais pontos turísticos da Capital. Este é o principal objetivo do trabalho de revitalização, recuperação e manutenção do Parque Solon de Lucena (Lagoa), que está sendo realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). Os trabalhos vão desde a retirada das bancadas de areia formadas pelo acúmulo de resíduos, até os serviços de alvenaria nas bordas da lagoa como também a identificação e fechamento dos condutores de esgoto irregulares das galerias de drenagem pluvial.

O biólogo e técnico da Secretaria de Meio Ambiente (Seman), Cláudio Almeida, disse que finalmente a Lagoa está voltando a respirar. “É um trabalho criterioso, realizado através de uma pesquisa que identificou que a Lagoa, uma fonte de riqueza ambiental, estava prestes a morrer. Caso algo não fosse feito neste momento, o destino da Lagoa seria tornar-se um alagado envolto por bancos de areia provenientes da poluição desenfreada. O tempo perdido agora está em plena recuperação”, ressaltou Cláudio.

Ele ainda explicou que o esgoto do Mercado Central foi um dos grandes responsáveis pela degeneração da Lagoa, mas com as intervenções que estão sendo feitas no local desde o início da atual gestão, esta triste constatação virou coisa do passado. “Quando o mercado foi construído, não havia uma rede de esgoto própria e tudo era depositado na Lagoa. O projeto de recuperação do equipamento não só devolveu o espaço para a população como também contribuiu para a limpeza da Lagoa”, acrescentou.

De acordo com Cláudio Almeida, o trabalho de limpeza da Lagoa vai contribuir com a preservação da vida dos peixes. “Com a chegada do verão e o aumento do calor, a água perde seu poder de oxigenação, o que fica mais agravado ainda pelos fatores poluentes que caem e circulam diariamente no entorno da Lagoa. Os resíduos das construções e os óleos que são expelidos pelos automóveis que passam naquela área, escorrem para dentro da água. Essa limpeza vai contribuir significativamente para elevar a oxigenação da Lagoa e, com isso, a vida dos peixes será preservada”, explicou o biólogo.

Mas para que o Parque Solon de Lucena fique plenamente saudável, a colaboração da sociedade e um monitoramento constante devem fazer parte da rotina da cidade. “A prefeitura está fazendo sua parte, mas todos devem preservá-la. É de suma importância que a população tenha a consciência que não se pode jogar lixo na rede pluvial, isso afeta catastroficamente o meio ambiente”, alertou Cláudio Almeida.