Lei Griô Nacional é tema de sessão especial na Câmara

Por - em 45

A Sessão Especial sobre a Lei Griô Nacional, proposta pela vereadora Sandra Marrocos, reuniu brincantes, mestres das tradições orais, gestores públicos e representantes de entidades culturais na tarde desta terça-feira (24), na Câmara Municipal de João Pessoa. Na ocasião, o Diretor Executivo da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Chico César, cantou uma poesia popular nordestina e lembrou o seu pai, que é um mestre brincante e lhe inspirou bastante na sua trajetória de vida. Chico César ressaltou que “a Fundação Cultural de João Pessoa está não só de braços abertos, mas de coração aberto para receber estas ações”.

Durante a sessão, o plenário e as galerias da Câmara ficaram lotados com a presença de grupos populares, a exemplo da Ciranda do Sol, do Mestre Mané Baixinho, do bairro dos Novais, que realizou uma apresentação. Entre os mestres e mestras da cultura popular, estavam Vó Mera, Dona Lenita, Doci, Mestre Mane Baixinho e Marcos. Além de Chico César, estiveram presentes o Diretor Executivo Adjunto da Funjope, Milton Dornellas e o Secretário Municipal de Turismo, Euzário Pereira.

Após a sessão, mestres, brincantes e educadores populares realizam um cortejo até o Ponto de Cem Réis, onde acontecem diferentes apresentações da cultura popular. O Ponto de Cultura Paraiwa registrou a sessão na íntegra, para a produção de um VT que será veiculado na imprensa local.

Durante o seu pronunciamento, o Diretor Executivo Adjunto da Funjope, Milton Dornellas, ressaltou que não basta ser solidário. “Temos que ser cúmplices destas ações, dando visibilidade, fomentando a cultura que é desenvolvida na nossa cidade, no nosso estado e, consequentemente, no nosso Brasil”.

A Coordenadora Geral da Ação Griô Nacional, Liliane Pacheco, também presente na sessão, revelou que será construída uma lei que vem do povo para o povo. “A missão desta lei foi construída por mais de 200 mil representantes em todo o país, durante a segunda Conferência Nacional de Cultura, realizada em março deste ano, em Brasília, mas o texto final da lei ainda está em aberto, então temos a possibilidade de contribuir com sugestões para a resolução final da mesma”.

A Ação Griô Nacional realiza várias atividades durante toda a semana em João Pessoa, com uma programação que conta com rodas de diálogos, sessão especial na Câmara Municipal, atividades nas escolas, cortejo e apresentações culturais. A iniciativa, que tem o objetivo de divulgar o movimento de criação da Lei Griô Nacional, conta com representantes da ação Griô de Lençóis, na Bahia, numa realização da Escola Viva Olho do Tempo (Evot), em parceria com a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e Secretaria Municipal de Educação (Sedec).

Lei Griô Nacional – A missão é criar e instituir uma política nacional de transmissão dos saberes e fazeres de tradição oral em diálogo com a educação formal, para fortalecimento da identidade e ancestralidade do povo brasileiro, por meio do reconhecimento do lugar político, econômico e sócio cultural dos griôs, das griôs, mestres e mestras de tradição oral do Brasil.

Quando implantada, a Lei criará mecanismos para que as comunidades apresentem aos conselhos municipais de cultura seus griôs e mestres de tradição oral. Eles se apresentam vinculados a projetos educativos, associações e a secretarias de educação e passarão seus conhecimentos aos estudantes.